Programa que prevê plantio de 2,5 milhões de árvores é aprovado no RJ


Pixabay/NakNakNak

A Câmara de Compensação Ambiental da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, aprovou nesta semana o programa “Florestas do Amanhã”, que prevê o reflorestamento de 1,1 mil hectares de Mata Atlântica através do plantio de 2,5 milhões de árvores. A medida será aplicada em 20 unidades de conservação e em outras áreas do estado consideradas prioritárias.

O programa será levado para municípios da Região da Bacia Hidrográfica V, abrangendo as cidades de Cachoeiras de Macacu, Rio Bonito, Magé, Guapimirim, Itaboraí, Maricá, Niterói, São Gonçalo, Tanguá, Belford Roxo, Duque de Caxias, Mesquita, São João de Meriti, Nilópolis, Nova Iguaçu e Rio de Janeiro.

O “Florestas do Amanhã”, que irá gerar até 5 mil empregos em sua primeira fase, será executado por meio de recursos do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) do Comperj, depositados no Fundo da Mata Atlântica.

“O Estado do Rio de Janeiro cumpre assim o Acordo de Paris, que prevê a redução da emissão de gases, justamente com o plantio e recuperação da Mata Atlântica, ecossistema muito conhecido e valorizado mundo afora devido à grande biodiversidade. É o amadurecimento da gestão ambiental, afinal os empregos crescem junto com as árvores”, afirmou ao jornal Diário do Rio o secretário de estado Altineu Côrtes.

O processo de reflorestamento, que respeitará o calendário agrícola, terá início nos próximos meses. Por conta da necessidade de reflorestar áreas degradadas no estado, o plano é incluir outras regiões hidrográficas nas próximas etapas do programa.

“É uma data emblemática para nós. Aprovar este programa no Dia Mundial do Meio Ambiente é um prêmio para quem realmente entende a necessidade de investir no plantio de mudas para restaurar a nossa Mata Atlântica”, disse Côrtes.

Antes de ser aprovado, o programa foi avaliado por instituições da Câmara de Compensação Ambiental, dentre elas a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), o Instituto Chico Mendes (ICMBio), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA).

A medida é de autoria da Subsecretaria de Conservação da Biodiversidade e Mudanças do Clima da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>