JBS, Marfrig e Minerva compram bois de fazenda ligada ao desmatamento da Amazônia

Mariana
June 5, 2020

Bois dispersos pela floresta amazônica durante queimadas após desmatamento (Foto: Daniel Beltra/Greenpeace)boi

Matadouros brasileiros compraram milhares de bois de uma fazenda em Mato Grosso que tem relação com o desmatamento da Amazônia desde 2018.

A agência internacional de notícias Reuters divulgou, com base em um relatório elaborado pelo Greenpeace Brasil, que os bois explorados para consumo foram comprados pelas empresas JBS, Marfrig e Minerva.

Os bois foram comprados da fazenda Barra Mansa, em Mato Grosso, que recebeu ao menos 4 mil bois da fazenda Paredão, localizada em uma área desmatada ilegalmente em um parque estadual. As duas fazendas têm um mesmo proprietário.

Pelo menos seis mil bois foram comprados pela JBS, 2 mil pela Minerva e 300 pela Marfrig entre janeiro de 2018 e julho de 2019. Todos advindos da fazenda Barra Mansa.

A prática de transferir animais de uma fazenda que está em situação ilegal por conta do desmatamento para outra que está regularizada sob o ponto de vista ambiental é conhecida como “lavagem de gado” e tem o objetivo de burlar os sistemas de monitoramento das empresas que compram os bois.

Apesar do monitoramento quanto à compra de animais criados em áreas desmatadas ter sido aperfeiçoado desde que o Greepeace passou, há 10 anos, a fazer denúncias, existem falhas.

Ao ser questionada, a Minerva confirmou ter comprado bois da fazenda Barra Mansa, mas disse que a Paredão está bloqueada em seu cadastro de fornecedores. Disse ainda que providências serão tomadas caso irregularidades sejam confirmadas.

A Marfrig enviou nota à Reuters afirmando não ter a fazenda Paredão em seu cadastro, mas disse que a Barra Mansa atende aos critérios de não desmatar, não estar embargada, não sobrepor unidades de conservação ou terras indígenas, e não submeter pessoas ao trabalho análogo à escravidão.

A JBS disse que a Paredão nunca foi sua fornecedora e que a Barra Mansa atende aos requisitos necessários para a compra.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Você viu?

Em busca de companhias,

Fonte: g1.globo.com Uma das

Pixabay Aproximadamente 50 ativistas

Grupo de guardas ambientais

Foto: Reprodução Youtube /

Reprodução/Instagram/@osindefesos Três cachorros tiveram

The Dodo Onyx e

Foto: Reprodução/GRAD A destruição

Foto: Pixabay A tradição

Notícias | Você é o repórter | Histórias felizes | De olho no planeta


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
>