Engajamento

Mais de 200 celebridades pedem ações urgentes pelo meio ambiente

Divulgação
Divulgação

Mais de 200 figuras públicas, incluindo celebridades hollywoodianas como os atores Penélope Cruz, Adam Driver, Joaquin Phoenix, Robert De Niro e Cate Blanchett assinaram um editorial do jornal jornal francês Le Monde pedindo uma “transformação radical” da sociedade em meio à pandemia de coronavírus.

O editorial, intitulado “Não ao retorno normal”, foi publicado na última semana. Além de artistas, a iniciativa também tem como signatários o ex-presidente do Museu Nacional de História Natural, Gilles Bœuf; Monge budista Matthieu Ricard; a pianista Khatia Buniatishvili; e o filósofo francês Jean-Luc Nancy.

O texto, escrito pela vencedora do Oscar Juliette Binoche e o astrofísico Aurélien Barrau, afirma que “a pandemia de Covid-19 é uma tragédia. Essa crise, no entanto, está nos convidando a examinar o que é essencial. E o que vemos é simples: ajustes não são suficientes. O problema é sistêmico”, diz.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O editorial aponta também que há uma catástrofe em andamento e as consequências serão incomensuráveis ocasionando Engaa extinção maciça da vida na Terra. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) relata que 2019 foi o segundo ano mais quente (após 2016) já registrado nos últimos 140 anos.

Os cientistas apontam que atividades humanas como queimar combustíveis fósseis e limpar a terra para a agricultura aumentam as emissões de gases de efeito estufa. Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, o transporte é a principal causa de emissões de GEE. Em 2018, esse setor representou 28% das emissões totais.

“Ponto de ruptura”

Os signatários do editorial incitam líderes mundiais e toda a sociedade a “deixarem para trás a lógica insustentável que ainda prevalece” e revisar hábitos de consumo para evitar que o planeta se deteriore ainda mais e não exista mais nenhuma possibilidade de sobrevivência para esta ou futuras gerações.

“A busca pelo consumismo e a obsessão pela produtividade nos levaram a negar o valor da própria vida: o das plantas, o dos animais e o grande número de seres humanos. A poluição, as mudanças climáticas e a destruição de nossas zonas naturais restantes trouxeram o mundo a um ponto de ruptura. A transformação radical de que precisamos – em todos os níveis – exige ousadia e coragem”, diz o texto.

O editorial é finalizado sugerindo a reflexão sobre quais maus hábitos devemos abandonar definitivamente para reduzir as desigualdades e o impacto ambiental. Confira o editorial completo aqui.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui