Tragédia

Incêndio destrói abrigo de animais e mata dois cachorros em Mauá (SP)

O local foi improvisado para abrigar animais mantidos por uma mulher que vive em situação de rua

Pexels/Pixabay/Imagem Ilustrativa
Pexels/Pixabay/Imagem Ilustrativa

Um abrigo improvisado em um terreno, no qual viviam 30 animais, foi alvo de um incêndio no Parque Capuava, em Mauá, no interior de São Paulo. O local, que pegou fogo na última terça-feira (26), foi destruído e dois cachorros morreram.

Os animais são tutelados por Rose Regina Bernardi, de 61 anos. Ela vive em situação de rua há pelo menos 15 anos e se tornou uma acumuladora de animais.

Antes da chegada dos bombeiros, que apagaram o fogo, parte do telhado foi destruída. A ração dos animais, recebidas por meio de doação, também foi consumida pelas chamas.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Uma vizinha de Rose, que preferiu não se identificar, contou sobre o sofrimento da mulher ao portal Repórter Diário. “Ela mora na rua com os cachorros e não tem mais nada a não ser eles. Arranjaram esse terreno dizendo que era uma doação, mas na verdade é de outro dono”, disse.

Em 2018, o abrigo tinha mais de 40 animais. Na época, a prefeitura afirmou ao portal RD que secretarias seriam acionadas para prestar auxílio à mulher.

“Eles não tem para onde ir, tem uma cobertura de lona agora e conseguimos telhas para instalar no espaço, mas a Prefeitura não presta qualquer tipo de auxílio para ela, e estamos com medo, pois ela não tem para onde ir”, completou a vizinha.

Ao ser novamente questionada sobre a situação de Rose, a administração municipal afirmou que ela foi retirada por uma mulher do local onde morava em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo, e deixada neste terreno em Mauá.

A ração dos animais foi atingida pelo fogo (Arquivo pessoal/Repórter Diário)

“Na época, a equipe do Bem Estar Animal esteve no local e ofereceu atendimento veterinário e castrou parte dos animais, conseguindo ainda, doar alguns, porém em poucos dias, outros animais se juntaram”, diz a prefeitura, através de nota.

A administração municipal afirmou ainda que foram oferecidos serviços de acompanhamento psicológico, alimentação, banho, e pernoite em um abrigo à Rose, mas que ela se negou a desfrutar deles.

Três filhotes que estavam no abrigo foram resgatados por uma veterinária de São Bernardo, cidade próxima à Mauá. A profissional auxilia os animais mantidos pela acumuladora desde 2019. Os demais cães passam bem e estão recebendo cuidados da Secretaria de Bem Estar Animal.

Não há informações sobre a causa do incêndio, tampouco sobre a possibilidade de ter sido ou não um ato criminoso.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui