Marina

Barco é retiro pela polícia durante investigação sobre baleia mutilada em SC

As autoridades apuram se o animal foi vítima de um acidente ou de um crime ambiental

Foto: Reprodução/ NSC TV
Foto: Reprodução/ NSC TV

Um barco foi retiro pela Polícia Federal na marina de Itajaí, em Santa Catarina, nesta quarta-feira (27) como parte das investigações sobre o caso da baleia que teve sua cauda mutilada no litoral do estado. O objetivo é descobrir se o animal foi vítima de um acidente ou de um crime ambiental.

Um vídeo divulgado na internet mostra a cauda do animal decepada, amarrada a um barco, e pescadores falando sobre a aproximação da baleia.

Um pescador envolvido no caso foi identificado. O delegado da PF em Itajaí Oscar Biffi explicou ao G1 que o homem e a embarcação são da cidade de Navegantes.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

A mutilação é investigada também através de processo administrativo de autoria do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), que tenta localizar a baleia. A capitania dos portos também está colaborando.

Na opinião do oceanógrafo Roberto Wahrlich, que é professor na Univali, em Itajaí, a baleia foi vítima de um acidente. Ao G1, o especialista afirmou que acredita que o animal marinho ficou preso entre os cabos da rede e acabou sendo mutilado.

Foto: Reprodução/ Redes sociais

A mutilação da cauda da baleia, segundo o pesquisador Jules Soto, curador do Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Balneário Piçarras, poderá levá-la à morte por inanição.

De acordo com Wahlich, acidentes do tipo já ocorreram no passado envolvendo barcos pesqueiros – o que revela, sob o ponto de vista abolicionista da ANDA, o quão nociva é a prática da pesca, que além de matar peixes de maneira direta, tira a vida de baleias e também de golfinhos e tartarugas, que frequentemente morrem após ficarem presos em redes de pesca.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui