Grande demanda

Marca de carnes vegetais deve vender 500 milhões de unidades

A oferta, segundo a Vivera que tem registrado crescimento médio anual de 25%, deve acompanhar à crescente demanda por alternativas à carne

Pixabay
Pixabay

Apontada como uma das três maiores marcas de carnes vegetais da Europa, a holandesa Vivera anunciou esta semana que expandirá sua produção visando vender 500 milhões de unidades por ano até 2025, o que representa o triplo do volume atual.

A oferta, segundo a empresa que tem registrado crescimento médio anual de 25%, deve acompanhar à crescente demanda por alternativas à carne.

Para 2020, a marca, conhecida principalmente por versões vegetais de bifes e bacon, estima uma receita equivalente a mais de R$ 500 milhões. Já a meta para os próximos cinco anos é elevar o total para R$ 1,56 bilhão ao ano.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O cenário é favorável à expansão, já que de acordo com um relatório publicado pela Zion Market Research, o mercado global de carnes vegetais deve movimentar o equivalente a mais de R$ 109,29 bilhões em vendas até 2025, com taxa de crescimento anual composta de 8,6%.

Além disso, maior disponibilidade de produtos tem feito com que cada vez mais consumidores optem pelos substitutos de carne, beneficiando o mercado global também em relação ao aperfeiçoamento de produtos e estimulando a necessidade de mais variedade de preços.

Hoje, a Vivera, que produz também versões vegetais de hambúrgueres, carne moída, almôndegas, filé de peixe, carne de frango e carne de porco, está disponível em 25 países.

Carnes vegetais e Twitter

Quem também tem visto nas carnes vegetais um futuro ainda subestimado por muita gente é o cofundador do Twitter, Evan Williams, que se desligou da mídia social de microblogging para se dedicar a outros projetos, incluindo investimentos em carnes vegetais.

Por meio da sua empresa de investimentos Obvious Ventures, Williams garantiu uma participação equivalente a R$ 2,3 bilhões de dólares na marca Beyond Meat, superando de longe a sua então participação de pouco mais de R$ 57 milhões no Twitter.

Tanto Evan Williams quanto o também cofundador do Twitter Christopher Isaac “Biz” Stone têm investido na marca de carnes vegetais desde a formulação dos primeiros produtos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui