Coronavírus

Em meio à pandemia, santuário vende videoconferência com animais para arrecadar fundos

Mais de 300 pessoas já se interessaram em participar da tour virtual, ajudando o santuário a se manter

(Divulgação Sweet Farm)

O santuário de animais Sweet Farm, localizado no Vale do Silício, no estado norte-americano da Califórnia, recorreu à videoconferência para arrecadar fundos para a instituição, que não tem fins lucrativos. Os vídeos ao vivo, que mostram os animais mantidos pelo santuário, são vendidos a internautas interessados em fazer uma tour virtual pelo local e podem ser adquiridos por pessoas que vivem em qualquer lugar do mundo.

(Divulgação Sweet Farm)

A iniciativa surgiu como forma de driblar a crise gerada pelo coronavírus. Antes da chegada da doença, visitas monitoradas eram realizadas na fazenda e os valores cobrados por elas cobriam parte das despesas dos animais. Com a quarentena, necessária para reduzir a disseminação do vírus, o local teve que fechar as portas, perdendo parte de seus recursos.

A tour virtual recebeu o nome de Goat 2 Meeting e teve início em março. Desde então, surgiram mais de 300 interessados em participar do projeto, segundo a fundadora do santuário, Anna Sweet.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Em um happy hour virtual para um escritório de advocacia, os advogados levaram seus filhos à videochamada para conhecer os animais e fazer um tour virtual pela fazenda”, contou Anna, em entrevista ao Business Insider.

A videoconferência é vendida em pacotes que variam de US$ 65 a US$ 250. O mais barato garante uma visita virtual de 20 minutos à fazenda, com direito a seis participantes. Por US$ 100, os participantes podem observar um animal por 10 minutos. A tour virtual de 25 minutos sai por U$ 250.

“Acho que estamos todos um pouco estressados ​​com o que está acontecendo, nós apenas esperamos trazer alguns sorrisos para o rosto das pessoas, enquanto os trazemos para a fazenda ao mesmo tempo”, explicou Anna.

Dentre os animais mantidos pelo santuário estão cabras, ovelhas, porcos, vacas, perus e lhamas. Interessados em observá-los através de vídeoconferência, garantindo assim a manutenção da fazenda, devem preencher um formulário em inglês disponível no site da instituição. 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui