Fome

Comedouros para animais deixam de ser abastecidos durante quarentena

O isolamento social imposto pelo coronavírus afastou das ruas de Macapá (AM) aquelas pessoas que costumavam alimentar os animais

Foto: PMM/Divulgação
Foto: PMM/Divulgação

Os comedouros e bebedouros destinados a animais abandonados deixaram de ser abastecidos em Macapá, no Amapá, por conta do isolamento social imposto pelo coronavírus, que afastou das ruas aquelas pessoas que costumavam garantir a água e a ração dos cães e gatos em situação de rua. Sem esse auxílio, os animais sofrem. Com fome e sede, eles saem em busca de algo que não sabem onde encontrar – e nem se vão encontrar.

O abastecimento era feito por pessoas que vivem nas proximidades dos comedouros e bebedouros, além de voluntários de ONGs e servidores de instituições.

“As pessoas não têm condições de alimentar, ficam com medo de pegar doença do cachorro. Tem pessoas que trabalhavam e alimentavam os cachorros na rua, mas agora estão em quarentena. A gente vê esses comedouros muito vazios, tem outros que ainda têm protetor que abastece”, comentou ao G1 Laudenice Monteiro, membro da ONG Anjos Protetores.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O medo de contrair coronavírus ao ter contato com os cães, no entanto, é injustificável. As notícias que afirmam que esses animais podem transmitir o vírus são falsas e não devem ser disseminadas, porque colaboram para o aumento do abandono. Especialistas e instituições renomadas, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), informaram que há qualquer evidência de que cães e gatos transmitam a doença.

A falta de alimento e de água, no entanto, não é o único problema enfrentado pelos animais. Isso porque, segundo as entidades, os casos de maus-tratos e abandono também aumentaram durante a pandemia. As duas práticas são criminosas e passíveis de multa, além de detenção de até um ano.

“Condutas como deixar o animal em um ambiente sem acesso à água, alimentação ou abrigo do sol configura como crime contra o meio ambiente. As pessoas de repente podem se ver na necessidade de deixar suas casas e ir para outro lugar, […] no entanto não podem esquecer seus animais”, assegurou a delegada Lívia Pontes, da Delegacia de Meio Ambiente de Macapá.

Casos de maus-tratos a animais no Amapá podem ser denunciados na Delegacia Virtual da Polícia Civil do Amapá ou pelo número (96) 98148-7378.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui