Preservação

Baleias-azuis são vistas na Antártida pela primeira vez em 40 anos

Antes caçadas e à beira da extinção, as baleias-azuis sobreviveram graças a esforços de conservação

Fotos: Getty Images

As baleias-azuis, que haviam desaparecido da Antártida por conta da caça, foram vistas na região pela primeira vez em 40 anos. Os animais foram descobertos por pesquisadores do British Antarctic Survey (BAS) na Ilha Geórgia do Sul.

Fotos: Getty Images

A região perdeu 97% da população de baleias jubarte, azul e francas do sul por conta da caça. No entanto, desde que a moratória internacional da caça às baleias foi firmada, em 1982, esforços de conservação foram executados, permitindo a sobrevivência das espécies.

Em 2018, pesquisadores registraram a presença de apenas uma baleia-azul na região. Neste ano, foram mais de 55, além de mais de 20 mil jubarte e dezenas de francas do sul.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
Fotos: Getty Images

“Para uma espécie tão rara, como a baleia-azul, esse é um número sem precedentes de avistamentos e sugere que as águas da Antártida permanecem um importante local de alimentação para essas espécies raras e pouco conhecidas”, disse a BAS, em comunicado.

O sucesso dos esforços de conservação foi comemorado pela bióloga de baleias do BAS, Jennifer Jackson. “Após três anos de pesquisas, estamos emocionados ao ver tantas baleias visitando a Geórgia do Sul para se alimentar novamente”, concluiu.

Fotos: Getty Images
Fotos: Getty Images

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui