Cadela salva de matadouro se recusa a sair de perto de homem que a resgatou

24/04/2020


Reprodução | Facebook

A cadelinha Sanie viu coisas aterradoras. Com apenas quatro meses, ela foi encontrada em um matadouro em Phnom Penh, no Camboja, à espera da morte. Ela vivia encolhida em uma jaula de metal enquanto via outros cachorros sendo torturados e mortos. O choro e o sofrimento de seus companheiros inundavam a vida de Sanie, que só conseguia pensar quando chegaria a sua hora.

Felizmente, algo bom aconteceu e reescreveu todo o seu futuro. Michael Chour, ativistas em defesa dos direitos animais e fundador do The Sound of Animals, um grupo que salva cães do comércio de carne no sudeste da Ásia, soube o que acontecia no matadouro e decidiu ir ao local tentar salvar os cachorros sobreviventes. Quando chegou lá encontrou Sanie e mais dois cãozinhos em uma jaula.

Reprodução | Facebook

Ela conversou por um longo tempo com o proprietário do local e usou todos os argumentos possíveis para tentar salvar os animais, mas o dono do matadouro afirmou que dois cachorros já estavam vendidos, no entanto, Sanie estava disponível e ele a deixou ir com Michael. A dor de deixar os dois cães para trás partiu o coração do ativista, mas ele precisava ser forte para ajudar Sanie.

O primeiro obstáculo foi tirar a cadelinha da jaula. Ela estava petrificada. Tremia e rosnava. Michael viu nos olhos da cachorrinha um sofrimento profundo e lancinante pelo qual nenhum animal indefeso merece passar. Levou tempo até ele conquistá-la. “Ela estava rosnando e tremendo. Mas eu a fiz sentir o cheiro da minha mão e lentamente me aproximei dela”, disse o ativista.

Michael falou com ela com uma voz terna e amorosa e a cadela finalmente se deixou ser tocada e permitiu que o ativista a pegasse em seu colo. “Quando Sanie saiu da jaula, ela ainda estava apavorada e estava olhando para o açougueiro. Mas depois que eu dei as costas para ele, ela se empurrou contra mim e colocou a cabeça sob a minha”, lembra Michael.

Reprodução | Facebook

Desde o segundo que saiu do matadouro no colo de Michael, Sanie descobriu que não poderia mais viver sem ele. “Ela me abraçou e não parou. Quando a levei à clínica veterinária e tentei colocá-la no chão, ela ainda não me soltou. Ela sabe muito bem que eu a salvei e ela sente meu amor. Os cães são inteligentes e entendem as coisas”, disse o ativista.

Michael acredita que a cachorrinha já teve um lar, mas foi sequestrada por traficantes de cães. Enquanto muitos cidadães asiáticos estão se conscientizando e adotando cães e gatos como companheiros e abandonado o costume bárbaro de comê-los, infelizmente, há uma grande máfia que trabalha incansavelmente para deixar que esse costume não seja extinto e o resultado disto é o sequestro de milhares de animais domésticos para serem mortos e consumidos.

Reprodução | Facebook

Após receber avaliação veterinária, Sanie foi levada para um abrigo parceiro do The Sound of Animals, o Blue Dream, onde Sanie terá a companhia de outros cães resgatados e terá a chance de se socializar e quem sabe, encontrar uma família amorosa. Lá, ela poderá aprender sobre amor, segurança e, principalmente, esperança.

Michael voltou para a Tailândia, onde mora, após alguns dias de investigação no Camboja, uma experiência inesquecível. “Fiquei cinco dias no Camboja para testemunhar e tentar mostrar ao mundo o que acontece neste país. Eu estava tão mal no caminho de volta – apenas deprimido. Mas Sanie me deu o poder de continuar lutando”, concluiu.

Reprodução | Facebook

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(255, 255, 255)"}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
DOE AGORA

COMPARTILHE:

Você viu?


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
>