História

Fotos revelam animais usando máscara na gripe espanhola

Com um rastro de 50 milhões de pessoas mortas em apenas dois anos, a pandemia de 1918 foi uma das piores já enfrentadas pela humanidade

Foto que consta de registros históricos como feita em 1918. Foto de domínio público

Fica fácil ver o quanto foi letal a gripe espanhola se comparada as mortes registradas durante a Primeira Guerra Mundial que se estendeu de 1914 a 1918. A gripe matou um quarto da população mundial da época ou cerca de 50 milhões de pessoas em dois anos. A guerra foi responsável por 20 milhões de mortos em quatro anos. E o antigo cenário de 100 anos atrás parece se repetir nas ruas do século XXI.

Fotos da época da gripe espanhola, que teve início no inverno de 1918 e, misteriosamente, começou a sumir no verão de 1919, registraram famílias inteiras protegendo com máscaras também seus animais domésticos.  O tradicional “retrato da família” não deixou de ser feito, mas ganhou elementos novos: as máscaras, para todos os membros, incluindo cães e gatos. E até mesmo durante os cuidados veterinários, como se pode ver na foto abaixo, os animais usavam máscaras contra a temida gripe.

Animais de máscaras recebendo cuidados veterinários durante pandemia da gripe espanhola. Foto de domínio público

Embora a letal doença de 1918 tenha sido batizada de “gripe espanhola”, na verdade nem se sabe onde ela começou. Alguns estudiosos dizem que a doença começou no norte da China e foi transportada para a Europa por trabalhadores chineses – numa situação muito semelhante da covid-19. Outros dizem que o chamado “paciente zero” era de uma base militar britânica na França e há quem diga que a origem foi no Kansas (EUA), onde alguns dos primeiros casos foram registrados no início de 1918.

Em 1918 o tradicional “Retrato de Família” ganhou elementos novos: máscaras para todos os membros, incluindo cães e gatos. Foto de domínio público

A gripe recebeu a “nacionalidade” espanhola porque o governo da Espanha foi o mais transparente, divulgando rapidamente que a pandemia assolava o país, enquanto outras nações fizeram tudo que foi possível para omitir mortes e expansão da doença. Mas a verdade é que a gripe alcançou até pontos remotos da Terra como regiões cobertas de neve. O dado oficial é de 50 milhões de mortos, mas há fontes que citam 100 milhões.

Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e atuante na causa animal

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui