Tecnologia

Empresa produz carne vegetal através de impressão 3D

Reprodução/Novameat

Para a fabricação dos produtos são usados ingredientes veganos como arroz, ervilha e algas marinhas, além substâncias como lipídeos, fibras, minerais e vitaminas


A empresa Novameat, com sede na Espanha, está produzindo carnes vegetais usando uma impressora 3D. Os trabalhos foram iniciados após anos de estudo.

Reprodução/Novameat

Especialista em engenharia biomédica e fundador da startup, Giuseppe Scionti, fez diversas pesquisas para desenvolver uma técnica capaz de imitar a textura, a aparência, as propriedades nutricionais e sensoriais de bifes, peitos de frango e filés de peixe.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Enquanto pesquisava a regeneração de tecidos de animais por meio de tecnologias de bioimpressão para aplicações biomédicas e veterinárias, descobri uma maneira de hackear a estrutura da matriz 3D nativa de uma variedade de proteínas de origem vegetal para obter uma textura carnuda”, disse Scionti, em nota.

“A tecnologia da Novameat fornece um método flexível e ajustável de produzir carne à base de plantas, com a utilidade de criar diferentes texturas a partir de uma ampla variedade de ingredientes”, completou o especialista.

Reprodução/Novameat

Para a fabricação dos produtos são usados ingredientes veganos como arroz, ervilha e algas marinhas, além substâncias como lipídeos, fibras, minerais e vitaminas. Os componentes são transformados em uma pasta que é impressa em 3D. Um código pré-definido por meio de um software DAC (desenho assistido por computador) foi projetado pelo engenheiro para que seu projeto pudesse ser executado.

A empresa consegue fabricar um bife de 100 gramas em 30 minutos, a um valor inferior a US$ 3. Segundo o engenheiro, custos de tempo e fabricação poderão ser reduzidos em 10 vezes, em relação aos atuais, com uma produção em larga escala.

Reprodução/Novameat

Uma plataforma capaz de acelerar o desenvolvimento das carnes deve ser desenvolvida com recursos investidos pela empresa New Crop Capital, que tem foco em foodtechs.

“Acreditamos que a cadeia global de suprimentos alimentares está quebrada e estamos focados em resolver um desses desafios, que é a proteína animal”, disse Dan Altschuler Malek, membro da New Crop Capital. “Vemos que há uma oportunidade de mudar o comportamento do consumidor para reduzir o consumo de produtos de proteína animal para produtos que estão no preço que as pessoas pagam”, completou.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui