Final feliz

Cão é adotado após ser abandonado com bilhete que dizia: “minha mãe não pode cuidar de mim”

O caso foi divulgado na internet e viralizou, chegando até a família que decidiu dar um novo lar ao cachorro

Foto: Reprodução/ Vivendo em Santos

Um cachorro que foi abandonado em Santos (SP) com um bilhete que dizia que a tutora não tinha condições de cuidar dele encontrou um novo lar.

O animal foi deixado em frente a um mercado no bairro Ponta da Praia, na terça-feira (24). O bilhete foi colocado na coleira dele. Encontrado pela cuidadora de cães Inêz Carla Filgueiras, de 58 anos, ele foi resgatado e sua história viralizou após ser relatada nas redes sociais.

Foto: Reprodução/ Vivendo em Santos

“As pessoas não saem mais de casa por conta da pandemia. Eu precisei ir ao banco e encontrei com ele. Senti que era minha missão mostrar a história e conseguir uma casa para ele”, disse ao G1. Inêz já tutela outros quatro animais e, por isso, não tinha condições de adotar mais um, mas não desistiu de ajudar o cão abandonado.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

A cuidadora afirmou que o gerente do mercado contou a história do cão para ela e lhe entregou o bilhete deixado pela tutora na coleira dele. No papel, foram escritas as frases: “minha mãe não pode mais cuidar de mim” e “tratem com muito amor”. A tutora relatou ainda que o animal é carinhoso e tem o nome de T.J.

Após fotografar o cachorro, Inêz enviou as fotos a protetores de animais, que divulgaram o caso em uma página nas redes sociais. A história mobilizou os internautas, permitindo que T.J. tivesse um final feliz.

“Não deixaria o cão sozinho, tinha que saber que a história teria um desfecho”, disse.

Foto: Arquivo Pessoal

A publicação chegou até a auxiliar de enfermagem Francine Dias Oliveira Rosa, de 33 anos, que se comoveu e decidiu adotar o cão.

“Sigo muitas páginas de proteção animal, mas não tinha um cachorro há nove anos, desde que o meu morreu. Só consegui adotar um gato nesse período. Sempre acompanhei as histórias, mas nunca acreditava que deveria adotar. Desta vez foi diferente, sabia que o T.J. deveria ir para casa”, contou ao G1.

“Moro com minha mãe, meus irmãos e meu filho, e todos ficaram empolgados. Ele trouxe uma leveza”, completou. Segundo ela, T.J. estava assustado a princípio, mas logo se adaptou ao novo lar.

Foto: Arquivo Pessoal

O cachorro também se deu bem com o gato da família. A auxiliar afirmou que havia comentado com seu filho, há poucas semanas, que tinha vontade de adotar um cachorro, mas que estava esperando pelo animal certo.

“Depois de falar isso, chegou o T.J. Foi tudo como tinha que ser”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui