Coronavírus

Busca por adoção de animais aumenta como forma de combater solidão na quarentena

Equipes de resgate dos Estados Unidos revelaram que o interesse pela adoção de animais aumentou durante a quarentena realizada como forma de combate ao coronavírus

Photo by Federico PARRA / AFP

O número de pessoas interessadas em adotar um animal e, consequentemente, a quantidade de animais que encontraram novos lares, aumentou nos últimos dias nos Estados Unidos. A razão é a quarentena imposta pelo coronavírus. Sozinhos, os norte-americanos passaram a olhar com mais carinho para a ideia de ter um companheiro de quatro patas em casa.

Photo by Federico PARRA / AFP

O Lucky Dog Animal Rescue viu a lista de espera de 10 possíveis adotantes subir para 40 enquanto realizava um evento de adoção em Maryland, no PetSmart. O objetivo era doar cerca de 15 cachorros, mas as expectativas foram superadas.

“Apenas nesse evento tivemos 30 adoções em três horas”, disse a diretora executiva da ONG, Mirah Horowitz. As informações são do portal Extra.

Muitos norte-americanos enxergaram na quarentena uma oportunidade para oferecer o que um animal recém-chegado à família precisa: atenção, disciplina e cuidados. Segundo equipes de resgate de todo o país, o interesse pela adoção de animais aumentou, assim como o desejo de colaborar com a proteção animal.

O estudante de graduação da Universidade de Berkeley Kathy Shield passou anos querendo adotar um animal. Na última quinta-feira (19), ela tomou uma iniciativa e foi até o abrigo da Fundação Milo em Point Richmond, na Califórnia, de onde saiu com seu novo amigo: Átomo, um cachorro.

“Eu sou um cientista nuclear”, disse Shield ao explicar a escolha do nome do animal. Trabalhando em casa, o cientista percebeu que este era o momento perfeito para adotar um cachorro, já que agora dispõe de tempo para auxiliar o cão na adaptação ao novo lar. O novo companheiro, segundo ele, também o ajudará a manter uma rotina durante a quarentena.

“Ter um cachorro vai me forçar a acordar de manhã cedo, porque no mínimo eu tenho que deixá-lo fazer xixi”, disse Shield.

Para o presidente e diretor executivo da empresa American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (ASPCA), Matt Bershadker, “não há dúvida de que os animais oferecem conforto e companhia incríveis, especialmente em tempos de crise, por isso encorajamos as pessoas a continuarem adotando ou adotando temporariamente os animais necessitados”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui