Coronavírus

Ajude seu cão a escapar do tédio durante o isolamento

Algumas dicas podem ajudar os cães a vencerem o estresse nas longas jornadas dentro de casa

Enriquecer o ambiente e brincar com o cão dentro de casa ajudam a amenizar o estresse. Foto Dennis Larsen/Pixabay

Com a pandemia, a vida de todo mundo muda, inclusive a dos animais domésticos que se vêem obrigados a ficar dentro das casas e apartamentos, muitas vezes sem direito a um quintal. Heather Loenser, veterinária da American Animal Hospital Association lembra, em entrevista ao New York Times, que alimentos para animais e suprimentos de limpeza devem estar no topo da lista de itens para estocagem. Ela também aconselha a planejar medicação preventiva mensal como antipulgas e rações correspondentes a dietas restritivas, evitando assim sair para repor esses itens.

A veterinária explica que uma questão particularmente preocupante para os cães que vivem em apartamentos é a incapacidade de sair para fazer suas necessidades básicas: “Em circunstâncias normais, os cães urbanos passeiam algumas vezes ao dia, mas sob isolamento ou quarentena, os cães nos apartamentos precisarão fazer suas necessidades dentro das casas”.

Ettel Edshteyn, instrutora da Karen Pryor Academy de Nova York , diz que a maneira mais fácil de ensinar o cão a usar o “banheiro canino improvisado” num apartamento é o tutor agir como se estivesse indo para fora.

“Para fazer isso, você deve se preparar como se estivesse saindo para uma caminhada. Pode incluir pegar uma sacola e guloseimas dentro do horário que ele costuma fazer as necessidades. E então caminhe dentro de casa conduzindo seu cão até a área em que você deseja que ele use como banheiro. Se, a princípio, seu cão não for, faça uma pausa e volte para outra área do seu apartamento. Depois tente novamente”, diz. Em último caso, se for realmente necessário levá-lo para fora a fim de fazer as necessidade, deve-se higienizar as patinhas com lenço umedecido na volta.

Foto lutz6078/Pixabay

A especialista recomenda também que os cães sejam exercitados mentalmente para compensar a falta de exercício físico na rua e parques. Ela sugere comprar brinquedos que despertem a curiosidade e também brincar com ele sempre que for possível. “Os cães que estão acostumados a muita atividade física podem ser estimulados com truques físicos como giros, capotamentos ou movimentos entre as pernas do tutor”.

Ela diz que assim como as pessoas, alguns cães, durante o isolamento, podem sofrer com estresse e depressão: “Podemos ver um aumento no comportamento depressivo, como problemas para dormir, perder o apetite, não querer brincar ou apatia. Outros cães podem se tornar mais destrutivos, ansiosos e latir mais. Aumentar o enriquecimento e brincar dentro de casa pode ajudar”.

NOTA DA REDAÇÃO: Cães e gatos não pegam nem transmitem o covid-19. Eles podem apenas pegar as versões canina e felina do coronavírus que não são transmissíveis aos humanos, conforme atestam veterinários do mundo todo. O cão do Hong Kong que a princípio mostrou em exames ter “vestígios” do covid-19, morreu dois dias depois de ser constatado em testes mais complexos que ele não portava o coronavírus humano. Ele era um cão idoso, com 17 anos,problemas cardíacos,  e os próprios especialistas de Hong Kong declararam que ele deve ter morrido devido ao estresse causado pela distância da família durante a quarentena.

No entanto, tutores infectados com convid-19 devem delegar os cuidados aos seus animais a outras pessoas e, se isso não for possível, usar álcool gel antes de acariciar seus cães e gatos, pois, pode haver uma contaminação superficial do pelo desses animais do mesmo modo que haveria num corrimão de escada, por exemplo. E higienizar as patinhas dois animais depois dos passeios com lenço umedecido. A ANDA tem se preocupado em passar as informações corretas, com embasamento da OMS – Organização Mundial da Saúde e veterinários, a fim de evitar abandono e maus-tratos. Colabore também disseminando as informações corretas!

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui