Morre leão-marinho que viveu 27 anos em centro de recuperação no RS


O animal marinho morreu de causas naturais por conta de sua idade avançada


Ipirelo, como era chamado o leão-marinho que vivia há 27 anos no Centro de Recuperação de Animais Marinhos da Universidade Federal do Rio Grande (CRAM-FURG), morreu na tarde desta quinta-feira (5) em Rio Grande, no Rio Grande do Sul.

Foto: CRAM-FURG

O animal, que morreu por conta da idade avançada, foi resgatado em 1993 na Lagoa dos Patos. Foi devolvido ao mar quatro vezes, mas acabou retornando ao CRAM após todas as tentativas de reintrodução à natureza.

O CRAM-FURG publicou uma nota de pesar pela morte do animal. Confira abaixo:

“É com muita tristeza que comunicamos o falecimento do Ipirelo, leão-marinho que viveu durante 27 anos no Museu Oceanográfico Prof. Eliézer de C. Rios da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). O Ipirelo chegou ao Museu Oceanográfico, em Agosto de 1993, juvenil e debilitado, após ser resgatado no interior da Lagoa dos Patos próximo à Refinaria Ipiringa. Apesar de várias tentativas de soltura, o animal nunca teve condições de retornar ao ambiente natural, por isso, permaneceu nas dependências do Museu Oceanográfico recebendo cuidados permanentes no Centro de Recuperação de Animais Marinhos (CRAM-FURG). Nos último anos, ele já se encontrava em condição de senilidade, apresentando sinais compatíveis com a idade avançada, dentro desta situação sempre trabalhamos para garantir seu bem-estar e respeitar suas limitações, e assim foi até o último suspiro.

O Ipirelo é um ícone do município do Rio Grande-RS e fez parte da formação e do imaginário de muitas crianças e adultos de toda a região sul, despertando o interesse e a curiosidade em muitos de nós que hoje atuamos em prol da conservação do ambiente costeiro e marinho. O velho leão marinho deixará saudade e muitas histórias na memória de todos aqueles que o conheceram.

Siga em paz Ipirelo!”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>