Extinção

Usado na medicina alternativa, pangolim é o mamífero mais traficado do mundo

Shutterstock

Os animais de hábitos noturnos, já são caçados durante anos no sudeste da Ásia e estão sendo cada vez mais visados ​​na África


Shutterstock

Cerca de 900 mil pangolins, popularmente conhecidos como tamanduás escamosos, já foram traficados pelo sudeste da Ásia nas últimas duas décadas – disse o órgão de vigilância da vida selvagem, TRAFFIC, no dia 20 de fevereiro, relatando o desafio de combater o comércio ilícito desses animais.

O mamífero é o animal mais traficado do planeta e eles são altamente valorizados na medicina alternativa em países como China e Vietnã. Os asiáticos usam as escamas do animal com vários propósitos, que vão desde tratamento de câncer até problemas mais simples, como inchaço.

Os animais de hábitos noturnos são caçados há anos no sudeste da Ásia e estão sendo cada vez mais visados ​​na África. Um novo relatório divulgado pela  TRAFFIC estimou que cerca de 895 mil pangolins foram contrabandeados entre 2000 e 2019 no sudeste da Ásia.

O relatório também observou que mais de 96 mil kg de tamanduás foram apreendidos na Malásia, Cingapura e Vietnã entre 2017 e 2019.

“Não passa um dia sem que ocorra uma apreensão de animais silvestres no sudeste da Ásia, e muitas vezes em volumes que são absurdos”, disse Kanitha Krishnasamy, diretora do TRAFFIC na região.

Em 2016, o pangolim recebeu o mais alto nível de proteção da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção (CITES), o que significa que todo o comércio desses animais é proibido.

Mas grupos de proteção dizem que o negócio ilícito ainda é intenso e o TRAFFIC pediu leis e multas mais fortes, e que as autoridades fechem mercados e plataformas online que vendem animais silvestres protegidos.

A TRAFFIC também declarou que cerca de 225 mil kg de marfim de elefante africano, 100 mil tartarugas com nariz de porco e 45 mil aves canoras foram apreendidas no sudeste da Ásia nos últimos anos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui