Preservação

Santuário promove respeito à vida selvagem por meio de sessão de fotos

Mediadrumimages/JeffreyR.Werner

A instituição convidou Miki Ash, mestre iogue, para fotografar com os animais


Mediadrumimages/JeffreyR.Werner

O Wildlife Learning Center (WLC), localizado na Califórnia (EUA) e considerado um santuário para os animais que não conseguem mais retornar à natureza, convidou a jovem Miki Ash, mestre iogue, para uma sessão de fotos com os animais. O objetivo é que as imagens chamem a atenção das pessoas para o respeito com a vida selvagem e os animais em extinção.

Para as fotos, Ash ficou em posições de yoga com um guaxinim, uma cobra, uma tartaruga, uma coruja, um porco-espinho e outros. Ash explica que muitas asanas (palavra sânscrita para posições) de yoga foram inspiradas em animais e por isso têm seus nomes, como lagartos e cobras. “Gostei de toda a experiência, mas acho que o bicho-preguiça representa melhor o ritmo lento e constante do iogue”, disse.

De acordo com o Daily Mail, o bicho-preguiça foi justamente o animal que inspirou a instituição na criação de um evento de yoga a cada dois meses, o Sloth Yoga. Segundo Paul Hahn, cofundador do WLC, esta é uma “maneira nova e divertida de educar as pessoas e conversar sobre conservação da floresta tropical” e também uma forma de angariar fundos, o principal desafio que enfrentam.

Mediadrumimages/JeffreyR.Werner

Para Hahn, os animais possuem uma vantagem sobre os humanos, que é o fato de estarem “constantemente acessando seus arredores sem distrações de planejar o futuro ou de processar o passado e isso é perfeito para a yoga”. O WLC foi fundado há 20 anos por Hahn e seu parceiro, o biólogo David Ryherd. Os animais feridos que chegam até eles são tratados e vivem seus dias de lazer em um ambiente que reflete seu habitat natural.

Mediadrumimages/JeffreyR.Werner

“Os [animais] residentes são uma gangue barulhenta de macacos-esquilo jogando fezes em quem passa por seus galhos e trepadeiras. Há também girafas, corujas, cobras e répteis”, conta Hahn. Ele explica que nem sempre é fácil, por isso é importante que equipe goste e esteja comprometida com o trabalho.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui