Califórnia

Pesquisa descobre deformação em peixes causada por dejetos agrícolas

Foram analisados mil peixes constantemente expostos ao selênio

A deformidade resulta num aspecto de zigue-zague. Foto divulgação

A atividade agrícola, quando não se preocupa com o meio ambiente, pode gerar consequências irreversíveis. Uma grave deformidade na coluna vertebral está deixando o corpo de pequenos peixes de uma região da Califórnia (EUA) com aparência de um zigue-zague. Pesquisadores do Vale de San Joaquin e do Centro de Ciências da Água da Califórnia, do Serviço Nacional de Pescas Marinhas, analisaram mil peixes e descobriram as deformações em 80% deles.

As deformidades espinhais, segundo o estudo, estão associadas à exposição tóxica ao selênio, presente nos resíduos agrícolas lançados nos rios.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O estudo começou com a coleta de peixes de uma estação de bombeamento do rio San Joaquin. A equipe examinou os ossos do ouvido dos peixes, chamados otólitos, que freqüentemente retêm os marcadores químicos de exposições diversas. Usando raios-X de alta intensidade foi possível ver traços claros de selênio.

A pesquisadora Rachel C. Johnson explica que os peixes mais jovens se contaminam de duas formas: com a absorção ocorrendo primeiro pelas mães e depois continuando enquanto se alimentam nas águas contaminadas.

No entanto, segundo os pesquisadores, é raro ver animais exibindo os efeitos tóxicos do selênio porque os peixes afetados geralmente morrem e se decompõem antes de serem descobertos, ou então são comidos por predadores.

Na década de 1980 o selênio já foi descoberto no vale de San Joaquin em altas concentrações quando águas poluídas contendo o produto químico foram detectadas no Refúgio Nacional da Vida Selvagem de Kesterson. Na época as deformidades foram vistas em aves e os pesquisadores apontaram as práticas agressivas de irrigação como responsáveis pelo problema. Espera-se que o estudo atual e o dos anos 80 sirvam para criar medidas drásticas e urgentes visando o tratamento adequado dos resíduos agrícolas antes de atingirem os rios.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui