Austrália

Para salvar cangurus, casal se recusa a abandonar casa cercada pelas chamas

Jorge Silva/Reuters

O casal lutou contra o fogo por pelo menos 14 horas, usando extintores, bombas de água e um sistema de borrifador no telhado da residência, para não ter que abandonar o local onde vivem os cangurus


O casal Gary Wilson e Julie Willis não abandonou sua casa de madeira com a chegada dos incêndios à comunidade rural de Wytaliba, onde eles moram, na Austrália, para proteger os filhotes de cangurus órfãos abrigados por eles.

Jorge Silva/Reuters

Além dos filhotes, o casal cuida também de cangurus adultos que chegaram ao local procurando refúgio.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Tínhamos animais demais dentro da casa e ao redor dela, então realmente não podíamos ir embora. Decidimos ficar e lutar”, disse Wilson. A casa, cercada por uma área carbonizada, está sem energia elétrica. As informações são da agência Reuters.

“Às 15h era um lindo dia de verão, e às 16h parecia meia-noite”, contou Wilson. “Não dava para ver mais que 20 metros à frente, então a tempestade de fogo se aproximou e queimou praticamente tudo”, completou.

Usando extintores, bombas de água e um sistema de borrifador no telhado para apagar as brasas que caíam, o casal lutou por pelo menos 14 horas para proteger a casa. Dois vizinhos deles morreram.

Willis afirmou que este foi o incêndio mais intenso já visto por ele e que a maior parte dos animais não conseguiu fugir do fogo. Mais de 1 bilhão de animais morreram desde setembro de 2019.

“É só depois que você percebe como esteve perto de morrer, mas na hora você está ocupada demais tentando apagar”, disse.

O casal, que costuma abrigar filhotes de cangurus que perderam suas mães atropeladas por carros, têm recebido um número cada vez maior de animais por conta do incêndio, que não só gerou queimadura, como colocou fim ao alimento dos cangurus e poluiu a água que eles bebem na natureza.

Os filhotes recebem leite preparado especialmente para eles e, segundo Willis, futuramente retornarão à natureza. “Nós não tivemos filhos, é com isto que ocupamos nosso tempo”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui