Meio Ambiente

Cidade do México decreta fim do uso de plásticos descartáveis

Poluição plástica representa 10 milhões de toneladas de plásticos despejados nos oceanos a cada ano

Plásticos já culminaram em estrangulamento de mais de 270 espécies de animais | Foto: WWF-Austrália
Plásticos já culminaram em estrangulamento de mais de 270 espécies de animais | Foto: WWF-Austrália

Em janeiro, entrou em vigor na populosa Cidade do México uma lei que estabelece o fim do uso de plásticos descartáveis até 2021.

A medida faz parte de uma proposta para reduzir a geração de lixo na cidade – que já é de 13 mil toneladas por dia.

Além da proibição de distribuição e venda de sacolas plásticas em lojas e supermercados, também será banido o uso de outros produtos descartáveis – como canudos, copos, talheres e balões.

A previsão é de que a proibição proporcione mudanças significativas, considerando que a Cidade do México tem 12 milhões de moradores na cidade e 21 milhões na região metropolitana.

No Brasil, entre as cidades que estão proibindo o uso de sacolas plásticas estão Rio de Janeiro e São Paulo.

Impacto da poluição plástica

De acordo com um levantamento divulgado pela organização WWF-Brasil, a poluição plástica, que representa 10 milhões de toneladas de plásticos despejados nos oceanos a cada ano, já culminou no estrangulamento de mais de 270 espécies de animais.

Entre os prejudicados estão mamíferos, répteis, pássaros e peixes encontrados com ferimentos que incluem lesões agudas e crônicas, ou até mesmo mortos. “Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade”, afirma a WWF-Brasil.

Vale lembrar também que mais de 240 espécies já ingeriram plástico acidentalmente ou por confundi-lo com algum tipo de alimento. Nos casos de ingestão, é comum o animal desenvolver úlceras e bloqueios digestivos que podem resultar em morte, já que o plástico não passa facilmente pelo sistema digestivo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui