Zoofilia

Casos de estupro de cães preocupam ONGs em Manaus (AM)

Pixabay/Timur85

Os estupros de cachorros têm se tornado recorrentes na cidade de Manaus, no Amazonas


Entidades e protetores de animais estão preocupados com os casos de estupros de cães em Manaus, no Amazonas. O mais recente, registrado no dia 2 de janeiro, aconteceu no bairro Lírio do Vale. Lucivaldo Almeida, de 39 anos, foi flagrado estuprando uma cadela. Indignados, moradores do local o agrediram.

Pixabay/Timur85

De acordo com o presidente da ONG Anjos de Rua, Kennedy Marques, casos de estupro de cães costumam ser cometidos por usuários de drogas. Os relatos chegam à entidade com frequência. As informações são do portal Em Tempo.

“Muitas vezes nos relatam que cães teriam sido estuprados, mas quem não tem conhecimento na área pode confundir o abuso sexual com uma doença chamada de Tumor Venéreo Transmissível (TVT). Uma doença que atinge a parte da genitália externa de cães e deixa o local com vermelhidão, característica compatível com o estupro”, explicou Marques.

A protetora Rosa Aguiar resgatou uma cadela vítima de zoofilia em 2019. “No ano passado, após receber o acionamento, eu fui até o bairro Santo Antônio, na Zona Oeste de Manaus, resgatar a cadela. Quando a levei ao veterinário foi constatado que ela havia sido estuprada. O animal mostrava sinais de que havia sofrido bastante. Não sabemos afirmar se foi por um homem ou se ela teve apenas objetos introduzidos na genitália”, contou Rose.

Há três meses, Meire Brandão, que também atua na causa animal, foi até o bairro Armando Mendes para resgatar três cadelas que teriam sido estupradas por usuários de drogas. Após colocar uma das cadelas em seu carro, ela foi ameaçada por um dos homens, que não permitiram que ela fizesse o resgate.

“Todos os vizinhos sabiam o que acontecia com as cadelas. Eu queria resgatar e colocá-las para a adoção. Mas fui contida pelos próprios moradores que falaram para que eu não criasse caso com eles e que a atitude seria uma ‘corda no pescoço’. Tive que viajar e não sei o atual estado das cadelas. O que fiquei sabendo é que uma delas sumiu”, disse a protetora de animais.

A protetora pediu que casos de estupro contra animais sejam denunciados à Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (DEMA).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui