Crueldade

Vídeo mostra minques se atacando e comendo uns aos outros em fazendas de pele

A gravação foi realizada pela ONG Open Cages e deixa claro a violência física e emocional a qual esses animais são submetidos


Open Cages

Um vídeo realizado pela organização europeia em defesa dos direitos animais Open Cages, no ano passado, viralizou e chocou ativistas. As imagens mostram minques se atacando e comendo uns aos outros em fazendas da Lituânia, na Europa. O vídeo também mostra os animais saltando dentro das gaiolas e até mesmo um minque rasgado ao meio por outro animal. O objetivo da filmagem era dar destaque à situação da espécie explorada por sua pele que é valiosa no país.

Um trecho do vídeo mostra um minque enrolado, como uma bola, com costas e laterais arranhadas. Enxames de moscas voam em torno das gaiolas sujas de sangue e excrementos. Filhotes também foram flagrados em situação de total negligência, amontoados no chão de arame da gaiola, arrastando-se uns sobre os outros. Alguns corpos estavam inchados com sinais de decomposição.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O CEO da Open Cages, Connor Jackson, declarou para o site Daily Mail (10) que “condições terríveis como essas são surpreendentemente comuns nas indústrias de pele”. Apesar disso, “não há desculpas para os maus-tratos”, afirma . Jackson contou que a organização enviou um pedido à secretária de Estado de Meio Ambiente do Reino Unido, Theresa Villiers, para que ela se comprometa a enfrentar esse problema e sugere que o Brexit seja usado para proibir a venda de peles nos países que compõem o grupo.

O vídeo também inclui o depoimento de um funcionário de uma dessas fazendas, gravado em 2016, relatando o tratamento e o comportamento dos animais. “Eles são sempre assim, parece ser devido ao estresse”, opina. “Jogamos as comidas e, às vezes, elas caem em seus ouvidos, eles lambem e causam feridas”, conta.

O Reino Unido proibiu esse tipo de indústria em 2016, mas ainda permite a importação de produtos fabricados com peles. Quase 75 milhões de dólares em peles de animais foram importados em 2017, revelam números do governo. Apesar da proibição, uma pesquisa recente revelou que produtos a base de peles, como bolsas e casacos, ainda são vendidos em lojas onde o comércio é considerado ilegal. Na ocasião em que a proibição foi imposta, a medida tinha apoio de dois terços da população britânica, segundo dados do Humane Society International UK.

O vídeo chegou ao conhecimento da FurLithuania, organização que representa as fazendas de peles no país. Em nota, ela afirmou estar “chocada com as imagens inaceitáveis” e disse nunca ter visto “nada parecido”. Ainda de acordo com a FurLithuania, nem a Associação de Criadores de Lituânia e tampouco a Agência Veterinária do Estado da Lituânia tiveram ciência de situação semelhante. “Manter animais feridos e não tratá-los é crime, portanto, qualquer pessoa que tiver conhecimento sobre isso pode denunciar à Agência Veterinária do Estado”, informou.

Após a divulgação do vídeo por parte da Open Cages, a Procuradoria Geral da Lituânia abriu investigações para apurar o caso, ainda em 2018. O comunicado do órgão afirmava que “se a morte de um minque ocorrer na fazenda, ela é registrada no diário especial e os corpos devem ser colocados em segurança em um freezer e, posteriormente, transportados para uma empresa especializada”. As imagens pode ter sido registradas em fazendas soviéticas reformadas, que existem na Lituânia, Letônia e Estônia.

Confira o vídeo:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui