Gato leva seu cobertor para todo canto após ter cauda parcialmente amputada


O cobertor foi dado ao gato no dia de sua adoção, além disso, ele ganhou um coelhinho de pelúcia

Sara Budzynowski

Sara Budzynowski estava trabalhando no Wilson Veterinary Hospital , hospital veterinário em Washington, nos Estados Unidos, quando se deparou com uma ninhada de pequenos gatinhos de três semanas, trazidos pelo próprio resgate do hospital.

Todos os filhotes resgatados estavam saudáveis, exceto um, que apresentava uma infecção e teve que amputar parte da cauda. A moça cuidou do gatinho durante a estadia no hospital e a cada dia que passava, se apaixonava pelo gatinho, que viria a se chamar Renly.

Após o tratamento, Sara e seu noivo acabaram adotando o gatinho, e no dia da adoção, deram um cobertor e um coelhinho de pelúcia para o animal – que ele mantém até hoje, aos 10 meses de idade – e não larga de jeito nenhum.

O cobertor provavelmente significa muito ao animal, em função de ser um símbolo do dia de sua adoção, além do mais, foi um presente de seus “pais humanos”.

“Ao longo dos meses, esse cobertor passou por muitas lavagens, mas não suporto substituí-lo e pretendo mantê-lo para o resto da vida”, disse Budzynowski.

Depois de Renly, o casal também adotou mais dois cães, Hotchner e Azula. O gato é o mais velho da turma e parece não se importar em dividir o cobertor com seus irmãos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>