Santa Catarina

Rejeitado por ser surdo, cãozinho é adotado por homem com a mesma condição

Ele ganhou uma nova e especial família.

Foto: João Ferreira/Arquivo pessoal
Foto: João Ferreira/Arquivo pessoal

Um cãozinho de apenas 11 meses já sentiu na pele a dor do preconceito e da rejeição. Ele foi adotado na Diretoria de Bem-Estar Animal (Dibea) de Florianópolis (SC) quando tinha apenas 45 dias de vida e cerca de 10 meses, após a família descobrir que o animal é surdo, devolveu-o à instituição.

Anteriormente batizado de Pirata, o cachorro teve sua história divulgada nas redes sociais e graças a alguém que estava do outro lado da tela, a vida do cãozinho encontrou um novo sentido. Através de um amigo, o estudante João Gabriel Duarte Ferreira soube da história de Pirata.

Felizmente, ele não era um simples candidato à adoção. João, que também é doutorando em estudos da tradução na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), é surdo e já tinha interesse em dar uma chance a um animal com as mesmas condições físicas que ele. Encontro mais que perfeito.

Pirata agora se chama Jögan, em alusão ao olho do personagem principal do anime Boruto. Ele ganhou uma nova e especial família. Além de João, o cãozinho agora divide o novo lar com os três companheiros de João, dois surdos e um filho de pais surdos, além da cadelinha Gabi.

Em uma entrevista ao portal G1, João contou que está correndo tudo bem com o processo de adaptação. “Estamos felizes com ele. E temos muita empatia nele, por causa da identidade surda. Ele está feliz, porque temos nossas estratégias de adaptação para casa. Para nós, surdos, com os nossos costumes. Como apagar e ligar luz toda vez pra chamar o Jögan como fazemos conosco”, explicou.

O cãozinho, que está com a nova família desde quinta-feira (09), já até aprendeu coisas novas. O estudante conta que ele é muito dócil e inteligente. “Ele já sabe alguns sinais de Libras [Língua Brasileira de Sinais] e desde quinta aprendeu os sinais de passear, pedir pra sair, esperar”, contou João.

Graças a solidariedade e compaixão dessa grande família de pessoas especiais, Jögan terá a oportunidade de conhecer o amor verdadeiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui