Final feliz

Porca tratada como objeto em rifa é salva e procura novo lar em SC

Foto: Arquivo Pessoal

Peppa, como passou a ser chamada, está vivendo em um lar temporário enquanto aguarda pela adoção definitiva


Tratada como um objeto, uma porca foi rifada em Palhoça (SC). O destino dela mudou, no entanto, quando ela foi salva pela ganhadora da rifa. Peppa, como passou a ser chamada, agora espera por um novo lar.

Foto: Arquivo Pessoal

A porca foi rifada por uma família de agricultores para ajudar a pagar a festa de aniversário da filha. O animal seria morto para que sua carne fosse consumida durante as comemorações de Réveillon. As informações são do portal NSC Total.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Ao comprar um número da rifa, farmacêutica Cris Trautmann prometeu que salvaria a vida da porca se ganhasse. “Quando cheguei em casa, combinei com meu marido que, caso ganhasse, a porquinha não iria virar comida”, disse.

No dia 28 de dezembro, saiu o resultado. Cris havia ganhado a rifa e cumpriu a promessa que fez, pedindo aos agricultores que não matassem Peppa. Como mora em um apartamento, a farmacêutica não pode abrigar o animal e, por isso, busca um lar para ela.

Num primeiro momento, a porca ficou no sítio dos agricultores. No entanto, eles informaram que não poderiam ficar com ela por tempo indeterminado porque vivem de agricultura familiar e não têm condições financeiras para sustentar o animal.

No último sábado (4), Cris conseguiu lar temporário para a porca em uma propriedade rural na cidade de Alfredo Wagner. A procura por um adotante, porém, continua. E alguns interessados surgiram, inclusive dois santuários localizados em São Paulo. Cris, no entanto, não tem dinheiro para pagar o transporte, que é caro.

“Se chegou a nós, temos uma missão. Não posso salvar todos, mas se fui sorteada, e o prêmio era esse, tenho um dever com ela e quero dar uma vida digna”, concluiu Cris.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui