Incêndios

Impactantes ilustrações revelam o sofrimento dos animais na Austrália

A vida selvagem, que já foi o mais admirado cartão postal da Austrália – chamariz para o turismo que ajuda a enriquecer o país – hoje morre queimada, de fome e sede, ou ainda, fuzilada

Uma das ilustrações mais compartilhadas nas redes sociais está também na campanha do Instagram “PrayforAustralia”

A arte imita a vida e, dessa vez, infelizmente, num de seus piores momentos – mais precisamente, o “fim” da vida selvagem num país que sempre foi considerado o berço de várias espécies que só existem lá.

De dezembro para cá, quando os incêndios na Austrália tomaram as principais manchetes dos jornais, vários ilustradores se inspiraram na tragédia que já matou mais de um bilhão de animais nativos para produzir imagens impactantes.

Ilustração de Nikolai Senin retrata desespero dos coalas

A maioria das ilustrações foca animais ícones da Austrália como o canguru e o coala. Em cores vibrantes e quentes, tal qual o fogo que assola o país, ou em tons sombrios perfazendo cenários comoventes, os desenhos passam um pouco da tragédia que está chocando o mundo.

Ilustração de Marco De Angelis mostra toda a família australiana unida (composta por humanos e animais) lamentando o país em chamas

Não é a primeira vez que a Austrália “pega fogo”, mas sem dúvida é a pior crise climática já enfrentada pelos australianos. Em meio à desolação pela perda de tantos animais que sequer puderam fugir das chamas, o governo australiano ainda autoriza a morte a tiros de 10 mil camelos por estarem invadindo vilas em busca de água.

E ainda pode autorizar a tradicional caça ao canguru, que acontece todos os anos – e isso sem falar no extermínio de 2 milhões de gatos selvagens proposto para até o final deste ano. No passado houve também extermínio de coelhos inoculando neles terríveis vírus que levaram a mortes dolorosas e lentas, além de contaminar animais que se alimentavam deles.

A crítica não é direcionada ao povo australiano que, em sua maioria, ama os animais, mas ao governo que só encontra solução por meio de extermínios. Um país tão rico, tão estruturado, tão avançado em pesquisas médicas e científicas, não consegue criar soluções éticas para controle populacional?

O que vemos são espécies explodindo e daí o massacre sendo autorizado. Não seria melhor pensar em medidas para evitar a superpopulação? Certamente a Austrália tem tecnologia e conhecimento para isso.

Tons laranjas e vermelhos predominam nas ilustrações de artistas do mundo todo

Apesar de ser um país rico, bem estruturado e com alguns dos maiores centros de pesquisas do mundo, a solução para controle populacional de diversas espécies, pelo governo australiano, continua sendo a mais cruel.

O recente espetáculo de horror com o fuzilamento dos 10 mil camelos é um cenário difícil de imaginar em pleno século XXI. Os caçadores convidados para o massacre publicaram nas redes sociais inúmeras fotos posando com os camelos mortos provando que eles estavam ali gratos e felizes por tanta “diversão”.

Ilustração dramática de Melina Illustrate mostra a dor da Mãe Natureza

A Austrália conseguiu alcançar e talvez superar a má reputação da China com relação ao tratamento que destina aos animais, muito criticada mundialmente pela matança de milhares de cães e gatos das formas mais brutais.

A vida selvagem, que já foi o mais admirado cartão postal da Austrália, atraindo milhares de turistas do mundo todo a cada ano, hoje luta contra os incêndios, contra a fome e a sede e, se sobrevive, ainda pode morrer fuzilada.

Veja mais ilustrações:

Ilustração de Fearghas on Dibbble

 

 

Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e atuante na causa animal

2 COMENTÁRIOS

  1. Que triste isso q esta acontecendo!! O homem acabando com o planeta. Que maldade, falta de respeito o que fizeram com os camelos e ainda pretendem fazer com os gatos. Mto triste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui