Incêndios

Foto de menino de sete anos segurando corpo de um wallaby morto simboliza tragédia na Austrália

O fundador da ONG Aussie Ark, Tim Faulkner, postou a foto de seu filho nas redes sociais como forma de conscientizar as pessoas sobre os impactos causados pelo fogo na vida selvagem do país

Mathew de 7 anos segurando o wallaby morto | Foto: Tim Faulkner/Facebook
Mathew de 7 anos segurando o wallaby morto | Foto: Tim Faulkner/Facebook

Um especialista em vida selvagem compartilhou uma imagem comovente de seu filho segurando um canguru morto para destacar a gravidade da crise da seca e os incêndios na Austrália.

Tim Faulkner tirou a fotografia de seu filho Matthew, de sete anos, durante uma viagem de acampamento em Barrington Tops, na região de Hunter, em Nova Gales do Sul, na terça-feira (07).

O Sr. Faulkner, da ONG de proteção animal, Aussie Ark, Arca Australiana, e sua família haviam providenciado comida para cangurus ameaçados de extinção, mas quando voltaram encontraram uma cena horrível.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Acabei me sentindo como se estivesse mostrando ao meu filho seu futuro”, escreveu Faulkner em sua página no Facebook.

Mathew deixandp alimento para a vida selvagem australiana | Foto: Tim Faulkner/Facebook
Mathew deixandp alimento para a vida selvagem australiana | Foto: Tim Faulkner/Facebook

“Matthew pegou no colo o canguru morto, encontrado perto de uma poça de água barrenta.

“A fumaça se eleva do fogo selvagem no fundo e ele diz: ‘Eles estão todos morrendo, não estão papai?’. Eu disse a ele que era o trabalho dele salvar o mundo, era o melhor que eu podia fazer naquela hora”.

Faulkner usou o post para ajudar na conscientização sobre a terrível situação que o canguru nativo estava enfrentando.

Enquanto estava no local, Faulkner e seu filho serviram comida para a vida selvagem local e disseram que a presença de excrementos de animais ao redor da área também é um sinal positivo.

Também foram montadas câmeras de trilha ao redor da área para capturar animais silvestres e ajudar a avaliar quantas ainda estão frequentando a fonte de alimento.

Mathew também ajuda com as câmeras que seu pai usa para analisar o movimento da vida selvagem na região | Foto: Tim Faulkner/Facebook
Mathew também ajuda com as câmeras que seu pai usa para analisar o movimento da vida selvagem na região | Foto: Tim Faulkner/Facebook

A dupla encontrou vários outros cangurus mortos a caminho de casa, aqueles que se aproximaram das estradas para fugir do fogo antes de serem atingidos por carros.

“Enquanto o fogo continua devastando a Austrália, a Aussie Ark continuará monitorando, suplementando a alimentação e intervindo sempre que necessário junto aos animais”, disse Faulkner.

“Continuamos comprometidos com a causa, agora e até que a ameaça seja clara”.

Faulkner está levantando dinheiro para ajudar a fauna nativa ameaçada através da ONG.

Seu post mexeu com a emoção dos usuários de mídias sociais, com muitos dizendo que a imagem os deixou de coração partido.

Animais comendo o alimento deixado por Mathew e seu pai | Foto: Tim Faulkner/Facebook
Animais comendo o alimento deixado por Mathew e seu pai | Foto: Tim Faulkner/Facebook

“Desolador, devastador, me sinto tão impotente para impedir isso tudo”, escreveu um usuário.

“É comovente ver toda a devastação que os incêndios estão causando à nossa vida selvagem”, acrescentou outro.

“As casas desses pobres animais foram queimadas junto com o suprimento de alimentos e é tão comovente ver que agora os humanos os estão matando nas estradas”, acrescentou outro.

Animais selvagens mortos, incluindo cangurus e coalas, foram vistos mortos nas estradas.

O professor Chris Dickman, da Universidade de Sydney, estimou que 480 milhões de animais foram mortos desde o início dos incêndios em Nova Gales do Sul – mas acrescenta que “a verdadeira perda de vida animal provavelmente será muito maior”.

A universidade afirmou em comunicado em 3 de janeiro: “Os autores (do estudo) deliberadamente empregaram estimativas altamente conservadoras para fazer seus cálculos”.

“A verdadeira mortalidade provavelmente será substancialmente mais alta do que a estimada”.

Os incêndios florestais, que começaram meses antes da temporada típica para esses eventos na Austrália, também já mataram 25 pessoas e destruíram 2.000 casas. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui