Pesquisa

Estudo revela que a maioria das pessoas que come carne apoia a alimentação à base de vegetais

Chris Bryant, pesquisador da Universidade de Bath, entrevistou 1.000 comedores de carne para sua análise e constatou que 73% deles consideram ética a alimentação vegana, boa para o meio ambiente e saudável

Foto: Adobe
Foto: Adobe

A maioria dos comedores de carne apoia os princípios da alimentação à base de vegetais, de acordo com um novo estudo publicado na revista inglesa Sustainability. Os consumidores alegam que motivos de ordem prática como gosto (paladar), preço e conveniência continuam sendo os maiores obstáculos à adoção do veganismo.

Chris Bryant, pesquisador da Universidade de Bath, entrevistou 1.000 comedores de carne sobre suas atitudes em relação às dietas à base de vegetais e seu consumo pretendido de produtos de origem animal no futuro. Um em cada seis afirmou que planeja reduzir o consumo no próximo mês e 14% pretendem reduzir o consumo de produtos de origem animal. O estudo também constatou que 73% dos comedores de carne consideram ética uma alimentação à base de vegetais, 70% dizem que é bom para o meio ambiente e metade considera saudável.

Por outro lado, mais de 80% disseram que adotar uma alimentação baseada em vegetais não é fácil. Quase a mesma quantia disse que era inconveniente e 60% consideraram que não era agradável. Atitudes em relação ao vegetarianismo foram significativamente mais positivas do que atitudes em relação ao veganismo, segundo o estudo.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Em uma época do ano em que muitas pessoas pensam em mudar para dietas baseadas em vegetais com o sucesso do “Veganuary”(campanha em que as pessoas assumem o compromisso de não comerem produtos de origem animal durante o mês de janeiro), este estudo mostra que a maioria das pessoas já concorda com a ética do veganismo e está ciente dos benefícios das dietas veganas para o meio ambiente”, Sr. Bryant disse. “O fato de muitas pessoas concordarem com os princípios do veganismo é uma coisa, mas em termos de mudança de comportamento, precisamos reconhecer que para muitos isso foi visto como algo muito caro, inconveniente e um sacrifício em termos de gosto”.

Ele acrescentou que muitas dessas barreiras já mudaram desde que o estudo foi realizado em setembro de 2018.

“Supermercados, restaurantes e até estabelecimentos de fast-food desenvolveram inúmeras opções veganas de alta qualidade e acessíveis”, disse ele. “Ter substitutos diretos para os alimentos que as pessoas conhecem e gostam torna mais fácil para todos consumir menos produtos de origem animal”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui