Inovação

Estudantes do Ceará desenvolvem maionese à base de coco

Maionese vegana foi um projeto desenvolvido por alunos do curso de Tecnologia em Alimentos da Faculdade de Tecnologia Centec (Fatec) Cariri

Resultado é um produto com baixo teor de gordura, sem ovo, sem glúten, sem lactose e vegano (Fotos: Centec/Divulgação)

Um desafio lançado por uma professora do curso superior de Tecnologia em Alimentos da Faculdade de Tecnologia Centec (Fatec) Cariri, no Ceará, levou os alunos Davidson Ferrer, Luan Figueiredo e Kelvia Leal a desenvolver uma maionese à base de coco verde, de acordo com informações da assessoria de comunicação do Centec.

Segundo Davidson, o processo de fabricação é o mesmo do produto tradicional, mas com a utilização do sal negro – um ingrediente indiano feito com uma combinação de ervas – em substituição ao ovo.

“Sabemos que há o risco de contaminação por salmonela com o ovo cru, por isso, fizemos um teste com o sal negro, encontrado em casas de produtos naturais e deu super certo”, informa.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

A inovação também leva suco de limão e azeite. “Ele é utilizado numa quantidade mínima e exala um cheiro forte no início, pela liberação de enxofre, mas na medida em que a homogeneização vai ocorrendo, ele perde esse cheiro e dá a textura necessária”, explica Davidson.

O resultado é um produto com baixo teor de gordura, sem ovo, sem glúten, sem lactose e vegano. E os alunos garantem que o sabor é surpreendente. “A professora ficou muito animada com o resultado que apresentamos na sala e nos estimulou a seguir com esse projeto.”

Eles pretendem continuar o desenvolvimento da maionese neste semestre e fazer as análises físico-químicas, microbiológicas e de valor nutricional. “Esperamos apresentar um produto mais maduro na Expocrato e na Feira do Conhecimento deste ano e fazer com que ele chegue ao mercado e até as pessoas”, torce Davidson.

A maionese vegana foi um projeto desenvolvido durante a disciplina de Análise Sensorial, e, segundo os alunos, também foram utilizados conhecimentos das aulas de higienização, óleos e gorduras. O produto foi criado e testado no Laboratório de Processamento de Alimentos de Origem Vegetal da Fatec Cariri, sob a orientação da professora Natasha Monteiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui