Florestas em chamas

Bebê orangotango chora e se agarra à mãe durante resgate

Socorristas da International Animal Rescue (IAR) conseguiram salvar a dupla que perdeu seu habitat em Bornéu após incêndio

Foto International Animal Rescue

Outras partes do mundo além da Austrália sofrem com a seca e incêndios. No início de janeiro a ONG International Animal Rescue (IAR) foi avisada de que dois orangotangos, mãe e filho, tinham sido levados para a Vila de Tanjung Pura, na Indonésia, depois de terem seu habitat em Bornéu devastado por um incêndio.

O momento de resgate, que pode ser visto AQUI, filmado pela equipe da IAR, mostra a mãe sendo sedada enquanto o bebê chora e se agarra ao corpo dela apavorado com a presença das pessoas. Os dois estavam sendo mantidos numa gaiola por moradores locais.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

As ameaças à sobrevivência das populações de orangotangos aumentaram bastante desde que o fogo atingiu a maioria das principais regiões que esses animais habitam. As florestas em chamas deixaram muitos orangotangos sem comida e abrigo, levando-os a se desviar para aldeias e aumentando o número de encontros e conflitos com seres humanos.

Foto International Animal Rescue

Argitoe Ranting, gerente de campo da IAR Indonésia, disse ao site Dailymail: “Os dois orangotangos estavam em boas condições e não precisavam de tratamento adicional e, portanto, concordamos em translocá-los diretamente para as florestas de Sentap Kancang, que fica a apenas cinco quilômetros da onde se encontravam”.

A reportagem explica que é uma área de mais de 40 mil hectares e foi escolhida não apenas por seu tamanho, mas também porque possui uma oferta abundante de alimentos e a densidade da população de orangotangos é bastante baixa.

Sadtata Noor Adirahmanta, chefe do Centro de Conservação de Recursos Naturais em Kalimantan Ocidental, disse ao Dailymail: “Uma grande quantidade de trabalho de conservação foi realizada nos últimos anos, tanto pelo governo quanto por seus parceiros. No entanto, os desafios e os problemas estão aumentando e, em resposta, outras ações precisam ser tomadas. As raízes do problema decorrem de conflitos decorrentes do fato de não ter sido dada atenção suficiente à conservação de plantas e animais selvagens”.

Foto International Animal Rescue

Karmele L. Sanchez, diretor do IAR Indonésia, acrescentou: “O conflito surge porque os orangotangos estão perdendo seu habitat florestal. Eles vão a outro lugar em busca de comida porque não têm escolha. Estamos muito preocupados em ver como esses orangotangos estão tentando sobreviver quando seu habitat está sendo destruído. Só podemos esperar que os seres humanos percebam que, sem florestas, não serão apenas os orangotangos que não poderão sobreviver – porque a espécie humana sofrerá o mesmo destino”.

Alan Knight OBE, diretor executivo do IAR, comentou: “Depois dos terríveis eventos de 2015 na Indonésia, é impressionante ver incêndios destruindo novamente os habitats e florestas. Estamos aliviados com o resgate e translocação dessa mãe e bebê por nossa equipe na Indonésia. No entanto, é preciso tomar medidas agora para resolver o problema subjacente, para que a espécie de orangotango como um todo seja salva da extinção”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

1 COMENTÁRIO

  1. A destruição de florestas tem sido responsável por uma verdadeira catástrofe para a vida de inúmeras espécies. Esse é um mal diretamente vinculado à ganância e ao egoísmo humano. Evoluímos tecnologicamente, mas estamos atrasados com relação ao respeito aos animais. É extremamente triste constatar essa segunda afirmação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui