Lei que proíbe carruagens com cavalos em Montreal entra em vigor


Cavalos canadenses | Foto: B. Simpson/Government of P.E.I.
Cavalos canadenses | Foto: B. Simpson/Government of P.E.I.

É o fim da exploração para King e Maximus, Marilyn e Maya, e o restante dos cavalos gentis que vivem em um antigo estábulo no bairro de Griffintown, em Montreal, no Canadá.

Em 31 de dezembro, eles ficaram presos a carruagens pela última vez, onde passaram suas vidas puxando os veículos pelas ruas de paralelepípedos da cidade.

Desde 1º de janeiro, a cidade proibiu visitas guiadas a cavalo, citando uma preocupação crescente com o bem-estar dos animais e uma série de incidentes graves envolvendo os cavalos que geraram uma onda de indignação, revolta e preocupação nos cidadãos.

Ativistas consideram uma vitória pelos direitos animais a libertação dos cavalos sofredores. Já para os carroceiros e motoristas de carruagens turísticas, acostumados a explorar, os animais a notícia não foi bem recebida.

Eles negam veementemente que os animais sejam maltratados, porém apenas o fato de viver escravizado, sendo explorado entre arreios, chicotes, cordas já é uma forma de maus-tratos intrínseca a atividade.

Mas para os defensores dos direitos animais, incluindo a atual administração municipal, felizmente as carruagens, conhecidas como caleches, pertencem definitivamente ao passado da cidade.

“Com as ondas de calor no verão, as mudanças climáticas, o frio extremo no inverno, a construção e o número de veículos na estrada, temos uma séria questão sobre a segurança dos animais”, o representante do conselho da cidade, Sterling Downey, disse.
Ele apontou para uma série de incidentes nos últimos anos, incluindo uma colisão entre um cavalo e um carro e um cavalo que foi ao chão depois de escorregar em uma grade de metal. Em 2018, um cavalo caiu e morreu no meio de uma visita guiada.

Downey insistiu que o governo fez todo o possível para facilitar a transição, inclusive com um aviso prévio de um ano inteiro. Eles trabalharam com o departamento de trabalho da província para ajudar os motoristas de caleche a encontrar outra ocupação e se ofereceram para pagar aos proprietários de carroças mil dólares por cavalo para aposentar os animais.

Explorados e vistos como inferiores por sua sociedade especista (doutrina que coloca o homem como superior a todas as demais espécies do planeta e por isso livre para dispor delas como bem entender), os animais padecem vítimas do egoísmo e ambição humana, privados de sua liberdade e até de seu direito à vida.

Cada pequena vitória é um tijolo na construção de um caminho rumo a uma sociedade mais justa, compassiva e ética. Para todas as formas de vida.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL

SOLIDARIEDADE

GESTO DE AMOR

TAILÂNDIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>