Quase meio bilhão de animais morreram nos incêndios australianos


Foto: Matthew Abbott/New York Times/Redux/eyevine
Foto: Matthew Abbott/New York Times/Redux/eyevine

O número alarmante de aproximadamente 500 milhões de animais mortos no fogo violento que vem queimando as florestas da Austrália vem acompanhado de temores de que espécies inteiras possam ter sido eliminadas.

Ecologistas da Universidade de Sydney agora estimam que 480 milhões de mamíferos, aves e répteis foram perdidos desde setembro, com o número provavelmente subindo mais, com a continuidade das chamas.

Incêndios devastadores atingiram os estados de Victoria e Nova Gales do Sul (NSW) nos últimos dois dias, deixando várias pessoas mortas ou desaparecidas. Inúmeras casas ao longo da costa leste da Austrália foram arrasadas, deixando milhares de moradores presos e muitos forçados a se abrigar no único lugar seguro que havia a sua disposição: o oceano.

Fotos e vídeos chocantes flagraram cangurus tentando desesperadamente fugir de grandes paredes e labaredas de chamas, enquanto as equipes de resgate encontraram corpos carbonizados de milhares de coalas.

Outros relataram ter visto cacatuas caindo mortas das árvores. Os agricultores fugiram apenas para retornar as suas terras queimadas e encontrarem-nas repletas de corpos de bois e vacas.

O mundo tem se esforçado para absorver a escala de destruição causada pela pior temporada de incêndios na Austrália já registrada, com imagens do céu tingido de um tom vermelho ardente comparado a filmes de terror apocalípticos.

Os coalas foram os mais atingidos dos animais nativos do país porque são lentos e apenas comem folhas do eucalipto, que é preenchido com óleo, tornando-as altamente inflamáveis.

Acredita-se que até 8 mil dos animais – um terço de toda a população de coalas da costa norte de NSW – tenham sido mortos em menos de quatro meses. O ecologista do Conselho de Conservação da Natureza, Mark Graham, disse ao parlamento australiano que os incêndios queimaram “tão quente e tão rápido” que houve uma “mortalidade significativa” de animais, principalmente nas árvores.

Foto: AFP
Foto: AFP

Ele acrescentou: “Ainda existe uma área tão grande que ainda está pegando fogo outras que continuam queimando que provavelmente nunca encontraremos os corpos”. A voluntária de resgate de animais, Tracy Burgess, disse que seu Centro viu menos animais do que o esperado entrando para tratamento, o que descrito como “preocupante”.

Ela disse à Reuters: “Nossa preocupação é que eles não sejam trazidos para serem cuidados porque não estão mais lá, basicamente”. A Stand Up for Nature, uma aliança de 13 organizações que atuam pelos direitos animais, está pedindo uma interrupção imediata no corte de florestas nativas em NSW até que os impactos catastróficos dos incêndios sobre espécies e habitats sejam mensurados.

Em uma carta aberta, a Aliança alertou que o impacto dos incêndios é “extremo e contínuo” e a escala da perda “provavelmente nunca será conhecida”, mas certamente estará na casa dos milhões.

A coalizão reconheceu que uma moratória poderia ter impactos sobre os trabalhadores da indústria madeireira nativa e pediu ao governo que os apoie nesse meio tempo. A ministra do Meio Ambiente, Sussan Ley, disse que os números reais de mortes de animais não seriam conhecidos até que “os incêndios se acalmassem e uma avaliação adequada pudesse ser feita”.

Foto: Reuters
Foto: Reuters

Como dezenas de milhares de pessoas ficaram desabrigadas pelos incêndios em Nova Gales do Sul, começaram a surgir também histórias de generosidade e bondade.

Uma placa do lado de fora de uma casa na cidade de Pambula, no estado costeiro de NSW, convidava os “evacuados” a virem comer, tomar banho ou os que precisasse, de uma “ajuda em geral”.

Anita Glover, 43 anos, postou uma foto do aviso que ela viu enquanto fazia compras em sua cidade natal. Ela disse: “Eu achei ótimo, a generosidade explícita mostrando pessoas que pensam nos outros que foram evacuadas”.

Há rumores de que as cidades de NSW e Victoria estão ficando sem combustível e água, com lojas vendendo os suprimentos básicos. Os helicópteros ajudarão a evacuar 4 mil pessoas presas em Mallacoota, no leste da região de Gippsland, no estado de Victoria, onde famílias abrigam-se nas praias e a maior realocação de pessoas da costa sul de New South Wales está ocorrendo.

As linhas telefônicas e a Internet estão inoperantes em algumas cidades e comunidades isoladas que foram instruídas a ferver água que pode não ser segura para beber. Os meteorologistas alertaram que as condições provavelmente piorarão novamente neste final de semana (04 e 05), com ventos fortes e temperaturas que devem atingir 46°C. As informações do METRO UK.

Coala que teve que ser sacrificado após ser resgatado dos incêndios australianos:

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RÚSSIA

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA

MAUS-TRATOS

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>