Crime

Presos em rinha de cachorros são levados para audiência de custódia

Divulgação/Polícia Civil de SP

Os presos responderão pelos crimes de maus-tratos a animais, formação de quadrilha e prática de jogo de azar


As 41 pessoas que foram presas por envolvimento em uma rinha de cães em Mairiporã (SP) foram levadas, nesta segunda-feira (16), para uma audiência de custódia no Fórum de Guarulhos (SP).

Divulgação/Polícia Civil de SP

Entre os presos, está um médico veterinário que aplicava remédios nos animais para que eles pudessem ser forçados a brigar novamente e um policial militar, que foi levado para o Presídio Romão Gomes. As informações são da Record TV.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Os presos passaram a noite no 77º DP (Santa Cecília). Eles responderão pelos crimes de maus-tratos a animais, formação de quadrilha e prática de jogo de azar.

Os animais explorados na rinha estavam em uma chácara. No local, foi encontrado um cachorro morto e outro assado. A carne do animal seria usada para instigar outros pit bulls e também para alimentar os participantes do evento.

A polícia investiga se as rinhas eram transmitidas ao vivo pela internet. Celulares foram apreendidos. A suspeita é de que os eventos eram marcados através das redes sociais.

Reprodução Record TV

Na chácara, a polícia encontrou uma lista de confrontos e informações sobre os animais e seus tutores. Troféus e camisetas com a listagem das competições também foram encontrados.

Um norte-americano, dois peruanos e dois mexicanos foram presos. Dois adolescentes de 12 e 14 anos foram apreendidos. O pai deles está foragido e responderá por abandono de incapaz. Ele ligou para a mãe dos jovens para que ela os buscasse na delegacia.

“Os animais foram resgatados e mantidos sob escolta policial, aguardando transferência para um local adequado”, informou a Secretaria de Segurança Pública. Após o resgate, os cães foram entregues para três ONGs de proteção animal.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui