Compaixão

Pamela Anderson se oferece para adotar cães explorados por laboratório de testes

A atriz vegana e ativista pelos direitos animais se revoltou e comoveu com a situação dos cães que estão sendo usados para testes em animais na Texas A&M University (TAMU)

Foto: Livekindly/Reprodução
Foto: Livekindly/Reprodução

A TAMU realiza experimentos em cães há quase 40 anos. Os cientistas usam os cães para estudar a distrofia muscular de Duchenne – uma forma grave de distrofia muscular.

No TAMU, os pesquisadores criaram intencionalmente cães que sofrem da doença.

A doença fragiliza os músculos dos cães e leva à fadiga, deixa suas línguas inchadas, causa dificuldade para caminhar e dificuldade para engolir a comida. As imagens obtidas pela ONG PETA mostraram cães magros com fios de baba pendurados na boca. Os cães estavam “andando freneticamente de um lado para outro e roendo de frustração as barras da gaiola”.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Para avaliar o quanto os músculos de um cão se deterioraram, os pesquisadores inventaram uma técnica grosseira que poderia passar por tortura medieval: eles os esticam repetidamente com uma alavanca motorizada para causar rompimentos musculares”, escreve PETA em seu site.

Os cães doentes geralmente morrem entre 7 e 9 anos de idade.

Cruel e ineficaz

Em novembro do ano passado, 500 médicos pediram ao TAMU que encerrasse os experimentos. Eles argumentaram que o teste não era apenas cruel, mas também ineficaz.

“Como a pesquisa canina falhou por décadas em produzir um tratamento eficaz para pacientes que sofrem dessa doença fatal, agora é um momento oportuno para o conselho insistir em que a universidade concentre seus recursos em pesquisas relevantes para o ser humano”, dizia uma carta enviada ao chanceler da TAMU, John Sharp.

Imagem ilustrativa | Foto: Livekindly/Reprodução
Imagem ilustrativa | Foto: Livekindly/Reprodução

Em setembro, a TAMU concordou em parar de criar cães para experimentação. Muitos pediram à universidade que libertasse os animais restantes. Em outubro, a polícia prendeu o ator do filme “Babe – Um Porquinho Atrapalhado”, James Cromwell, enquanto protestava na TAMU. Ele criticou a instituição por “torturar” os cães e pediu à universidade que deixasse os cães “viverem o resto de suas vidas em paz”.

Anderson também quer ver as gaiolas do laboratório vazias e está disposta a ajudar a fazer isso acontecer.

“Sou uma orgulhosa guardiã dos cães da raça golden retriever há muitos anos”, disse Anderson em uma carta ao presidente da TAMU, Michael K. Young. “Meu golden retriever, Star, foi meu companheiro amado por 17 anos, desde o início da minha carreira em Hollywood. Ele até esteve comigo no set da série ‘Baywatch'(SOS Malibú)”.

A estrela vegana compartilhou sua casa com vários outros golden retrievers desde então.

“Gostaria apenas de dar aos cães que ainda estão em seu laboratório o mesmo amor e carinho que tenho dado aos meus outros queridos companheiros. Comprometa-se a encerrar os experimentos de distrofia muscular da Texas A&M nesses animais indefesos e a liberar os cães restantes no laboratório para adoção. Estou pronta para recebê-los em minha família”, escreve Anderson.

“Eu sempre abri minha casa para animais carentes e espero receber esses cães em breve. Eles estão no topo da minha lista de Natal “. As informações são do Livekindly.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui