Queda da liminar

Morte de jumentos para consumo é tema de audiência nesta terça na Câmara

Um dos motivos para realização da audiência é a derrubada de liminar que proibia o abate de jumentos na Bahia e a exportação da carne desses animais

“Morte de jumentos no Brasil visa atender um anseio meramente comercial e acaba negligenciando questões sanitárias e o bem-estar desses animais” | Pixabay
“Morte de jumentos no Brasil visa atender um anseio meramente comercial e acaba negligenciando questões sanitárias e o bem-estar desses animais” | Pixabay

Nesta terça-feira (3), às 14h, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados discute a morte de jumentos em audiência pública no Plenário 8.

Solicitado pelo deputado Célio Studart (PV-CE), o debate é considerado de grande relevância após o Tribunal Regional Federal da 1ª Região derrubar liminar que proibia o assassinato de jumentos na Bahia, assim como a exportação da carne desses animais.

“A morte de jumentos no Brasil visa atender um anseio meramente comercial e acaba negligenciando questões sanitárias e o bem-estar desses animais. Em janeiro de 2019, por meio de denúncia anônima, descobriu-se o estado de insalubridade e calamidade a que vêm sendo submetidos, quando, em Canudos, na Bahia, revelou-se a morte de 200 animais por falta de água e comida”, argumenta o deputado no requerimento.

Segundo Studart, os jumentos que seriam exportados para a China morreram em decorrência de fraqueza e inanição. Além destes, outros 800 animais foram encontrados na região. Meses antes, em Itapetinga, dezenas de outros jumentos estavam em situação semelhante.

Vale lembrar também que o consumo da carne de jumento não faz parte dos hábitos dos brasileiros, até porque há uma relação de familiaridade e consideração que se perpetuou culturalmente em relação aos jumentos a partir do século 16.

No entanto, com o crescente abandono de jumentos em alguns estados do Nordeste, a captura e venda desses animais tornou-se fonte rentável para empresários do ramo, e estes animais acabaram entrando em uma rota de crueldade.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui