Zimbábue

Dois filhotes de elefantes órfãos e gravemente feridos são resgatados da morte certa

Kadiki havia sido atacada por um leão quando tinha apenas um dia de idade e Bumi, que tem um mês de vida, ficou preso entre pedras e sofreu queimaduras solares graves

Kadiki que foi atacada por um leão quando tinha apenas um dia de idade, sofrendo profundas feridas na tromba e no rabo | Foto: Roger Allen
Kadiki que foi atacada por um leão quando tinha apenas um dia de idade, sofrendo profundas feridas na tromba e no rabo | Foto: Roger Allen

Perdidos, sozinhos, sofrendo de dores atrozes resultado de ferimentos fatais e no meio da savana africana devastada pela seca, o futuro parecia sombrio para esses dois filhotes de elefante órfãos.

Kadiki havia sido atacada por um leão quando tinha apenas um dia de idade, sofrendo profundas feridas deixadas pelas garras do felino na tromba e danos terríveis no rabo. Ela era tão jovem que ainda não havia sido alimentada por sua mãe.

Em um incidente separado no calor escaldante do Zimbábue, Bumi, de um mês, ficou preso de alguma forma estranha entre as rochas e sofreu queimaduras solares graves. Geralmente, os filhotes de elefante são protegidos do sol pela sombra de suas mães.

Bumi, de um mês de vida, ficou preso entre as rochas e sofreu queimaduras solares graves antes de ser resgatado | Foto: Roger Allen
Bumi, de um mês de vida, ficou preso entre as rochas e sofreu queimaduras solares graves antes de ser resgatado | Foto: Roger Allen

Felizmente, os socorristas os encontraram a tempo e agora sua sobrevivência já pode ser anunciada, mesmo contra as todas as probabilidades, e foi registrada nessas imagens encantadoras.

Kadiki e Bumi foram acolhidos pela resgatadora de animais veterana Roxy Danckwerts, 53, fundadora da ONG de proteção animal Wild Is Life (Selvagem é a Vida) e do Zimbabwe Elephant Nursery (Orfanato de Elefantes do Zimbábue) conhecido como ZEN, o único santuário de elefantes bebês do país.

Desde que os filhotes foram transportados de avião para o orfanato apoiado pelo Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW, na sigla em inglês), perto de Harare, ela e sua equipe ficaram ao lado deles.

Kadik já consegue caminhar, ela segue ao lado de seu cuidador que segura seu acesso | Foto: Roger Allen
Kadik já consegue caminhar, ela segue ao lado de seu cuidador que segura seu acesso | Foto: Roger Allen

Kadiki, cujo nome significa “o pequeno” no idioma local de Shona, passou por uma cirurgia para amputar parte de sua cauda e tratamento para sua tromba. Agora com cerca de dez dias, ela está bem o suficiente para andar de novo, apesar de estar recebendo soro e medicação endovenosa ainda.

Quanto a Bumi, a equipe do berçário diz que agora ele está “quase irreconhecível” desde a sua chegada, desenvolveu uma personalidade travessa e adora brincar com pneus.

Não se sabe o que aconteceu com suas mães. Assim como por causa da seca, os filhotes podem acabar sozinhos ou feridos devido à caça, cair em valas, separar-se de seus rebanhos ou sofrer ataques de predadores, diz a IFAW.

Roxy Danckwerts com Kadik | Foto: Roger Allen
Roxy Danckwerts com Kadik | Foto: Roger Allen

Graças a um projeto inovador entre a ONG Wild é Life e a IFAW, com a criação do orfanato ZEN, o primeiro do gênero no Zimbábue, eles e outros elefantes resgatados têm a chance de um futuro totalmente novo, de volta à natureza, onde podem andar em segurança com outros rebanhos em uma vasta reserva florestal, protegida contra caça.

À medida que o restante do rebanho do santuário continua aprendendo as habilidades necessárias para sobreviver na natureza, nove dos elefantes residentes originais já estão parcialmente realocados, tendo sido transportados 17 horas via terrestre no ano passado para Panda-Masuie, uma reserva florestal de 86 mil acres perto da cidade de Victoria Falls. As entidades IFAW e ZEN garantiram juntas um belo futuro para esta antiga terra de caça.

Bumi medicado das queimaduras brinca com pneus | Foto: Roger Allen
Bumi medicado das queimaduras, brinca com pneus | Foto: Roger Allen

Danckwerts, que resgatou mais de 20 elefantes nos últimos cinco anos, disse: “Os elefantes são altamente inteligentes, com necessidades físicas e emocionais incomparáveis em outros mamíferos”.

“A conservação do quadro geral de populações da espécie é extremamente importante. Ao trabalhar com a IFAW, estamos fazendo isso acontecer e estou feliz por podermos criar juntos um legado de proteção a longo prazo”, concluiu a conservacionista. As informações são do Daily Mail.

Bumi medicado das queimaduras brinca com pneus | Foto: Roger Allen
Bumi medicado das queimaduras brinca com pneus | Foto: Roger Allen

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui