Saúde animal

A obesidade é a principal doença nutricional em animais domésticos brasileiros

A obesidade já atinge entre 30% a  50% da população de cães e gatos no Brasil. Na cidade de São Paulo, especificamente, 41% dos cães são considerados com sobrepeso ou obesos, segundo estudo conduzido na Universidade de São Paulo – USP – em 2019

Foto SneakyElbow/Pixabay

Apesar de ter causa multifatorial, ou seja, existem diferentes fatores de risco relacionados à hereditariedade , doenças endócrinas e o uso de algumas  medicações que podem induzir a polifagia (aumento da ingestão do alimento), o manejo alimentar e regularidade de exercícios são pontos importantes que atuam no desenvolvimento da doença.

Sabe-se que a rotina dos tutores é muito importante no que diz respeito ao controle do peso, já que o manejo nutricional a qual o animal é submetido depende do tutor.  A humanização dos animais domésticos vem crescendo e muitos hábitos e desejos inerentes ao ser humano hoje são atribuídos aos animais e isso inclui os hábitos alimentares, além do sedentarismo do tutor que acaba reverberando no animal.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“A quantidade de alimento que esse animal consome, a quantidade de petiscos, a frequência e intensidade de exercícios são fatores de devem ser controlados para que o animal não tenha obesidade”, ressalta Brana Bonder,  supervisora de Assuntos Veterinários Hill’s Pet Nutrition. “Controlar o que o cão ou o gato comem e estimular atividade física são fundamentais para prevenir a doença”, diz a especialista.

Brana ressalta que a obesidade deve ser sempre diagnosticada pelo veterinário: “Apenas o profissional será capaz de fazer uma avaliação e descobrir o grau de obesidade que o animal apresenta”.

Em casa, porém, existem alguns pontos que o tutor pode observar para saber se o cão ou gato está com a condição corporal adequada. Cães e gatos que apresentam sinais de sobrepeso/obesidade perdem a definição da cintura, ao palpar o animal e os ossos da costela já ficam difíceis de sentir e uma camada de gordura maior na base da cauda fica visível.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui