Investigação revela os horrores e o sofrimento de perus em fazenda de criação

19/12/2019


Foto: Viva!
Foto: Viva!

Uma fazenda de criação de perus no Reino Unido se tornou alvo de revolta e indignação da população após a divulgação de imagens capturadas durante uma investigação secreta.

A filmagem feita pela ONG de proteção animal Viva! mostra aves doentes e feridas deixadas para morrer em galpões superlotados, a maioria delas com feridas abertas e em sofrimento. Um trabalhador é visto “matando perus brutalmente com um dispositivo desumano de esmagamento do pescoço”.

A fazenda nas imagens, Gravel Farm, cria mais de 30 mil perus por ano e vende os animais para gigantes dos supermercados no país como a Sainsbury’s. A empresa foi denunciada à Agência de Saúde Animal e Vegetal do Reino Unido. A rede Sainsbury’s confirmou que está “investigando” a instalação.

Câmeras ocultas

A ONG Viva! filmou os abusos na Gravel Farm – usando câmeras ocultas – entre setembro e novembro de 2019. Segundo a organização, imagens da investigação que durou três meses “revelam cenas chocantes de sofrimento e crueldade com total desrespeito aos animais”.

A fazenda possui dois grandes galpões, cada um deles abrigando até 5.500. A Viva! diz que os animais dentro dos galpões “nunca veem a luz do dia e são alimentados mecanicamente continuamente para garantir o máximo crescimento e em consequência maior lucro”. A velocidade com que esses perus crescem significa que suas pernas vão ter que lutar para sustentar seus corpos acima do peso.

Sem enriquecimento

A investigação descobriu perus criados na Fazenda Gravel Farm sofrendo de ferimentos terríveis, segundo os ativistas – incluindo feridas sangrentas causadas por outras aves bicando suas penas, ferimentos esses que não receberam tratamento.

Foto: Viva!
Foto: Viva!

Os perus são animais inteligentes e curiosos, diz a Viva !, portanto, sem enriquecimento ambiental, para reduzir o estresse e evitar bicar outras aves, os animais muitas vezes acabam se ferindo em galpões superlotados.

Compartimentos de segregação

Como os ferimentos são generalizados, a Gravel Farm usa compartimentos de segregação para manter os animais doentes ou feridos afastados dos outros. Os investigadores encontraram duas aves “gravemente feridas”.

“Um deles teve uma asa quebrada e necrótica infectada e outro teve um problema respiratório grave. Ambas as aves foram identificadas no domingo, 24 de novembro, e as duas ainda estavam presentes na sexta-feira, 29 de novembro, não mostrando sinais visíveis de melhora”, afirmou a Viva!.

Foto: Viva!
Foto: Viva!

“Esta fazenda está descaradamente maltratando os animais, as aves doentes ou feridas devem ‘receber atenção imediata para que o sofrimento não seja prolongado’ e que as contenções devem ser verificadas ‘no mínimo duas vezes por dia’ uma vez que o ideal seria a liberdade das aves, mas como isso não é possível que vivam de forma adequada”.

Esmagamento de pescoço

Os investigadores também descobriram perus sendo mortos com um dispositivo de deslocamento do pescoço – uma ferramenta parecida com um alicate que esmaga a medula espinhal da ave, descrevendo-a como “uma das práticas mais cruéis e graves descobertas na fazenda”.

“Nas filmagens obtidas pela ONG, um trabalhador desloca o pescoço de dois perus em um compartimento separado para doentes e feridos. Ambos as aves sofrem mortes prolongadas e visivelmente angustiantes, lutando por vários minutos após o golpe inicial”.

Foto: Viva!
Foto: Viva!

“Imagens incrivelmente perturbadoras”

“Vemos evidências extensas de doenças, dores e sofrimento nesta unidade. Comportamentos como bicar penas e canibalismo entre as aves são generalizados e, em alguns casos, causam machucados graves com feridas abertas expostas, inchaço e hematomas extremos. Isso ocorre apesar do fato de as aves terem sido sujeitas a “corte de bico”, mutilações efetuadas na tentativa de conter esse tipo de agressão – um comportamento que decorre de condições ambientais que não atendem às necessidades básicas dos perus”, disse a Dra. Alice Brough, consultora veterinária.

“Existe uma falha dos membros da equipe da fazenda em identificar problemas e lidar adequadamente com eles. Não há evidências demonstradas durante o período das filmagens de que qualquer uma das aves movidas para os compartimentos de segregação receba tratamento por ferimentos ou doenças; não foi visto nenhum funcionário aplicando medicamentos tópicos ou algum tratamento como administração de medicação injetável ou oral. Os alimentadores e bebedores não estão separados das linhas que abastecem o restante dos galpões e, portanto, é improvável que sejam administrados medicamentos pela alimentação ou água”.

“O que vemos nesta filmagem é incrivelmente perturbador e mostra um desrespeito categórico aos animais”, conclui a veterinária.

Foto: Viva!
Foto: Viva!

“Abuso sistemático”

“Estamos absolutamente satisfeitos que a Gravel Farm foi denunciada às autoridades competentes como resultado da investigação da Viva!. Nossa equipe testemunhou condições terríveis, documentando o abuso sistemático de perus de criação, cujas vidas curtas são preenchidas com nada além de miséria e dor. Enquanto algumas aves foram cruelmente mortas com dispositivos bárbaros de esmagamento do pescoço, outras foram mortas lentamente, agonizando em decorrência de seus ferimentos – tudo por causa de um jantar de Natal “, acrescentou a gerente de campanhas da ONG, Lex Rigby.

“Embora esta fazenda tenha sido denunciada e exposta, a crueldade contra animais persiste em muitos outros locais, daí a importância de investigações feitas por ONGs que lutam pelos direitos animais. A Viva! tem a missão de trazer ao conhecimento do público as condições abomináveis que vigoram nas fazendas industriais. Embora sejam cenas duras de se ver, é a realidade e a única forma de acabar com esse tipo de crueldade é se tornando vegano”.

“O Natal deve ser uma época de paz e boa vontade, e acreditamos que não há melhor maneira de comemorar do que estender nossa compaixão a todos os seres. É por isso que estamos pedindo aos consumidores que escolham uma alternativa à base de vegetais ao peru neste Natal e escolham ser veganos”, finalizou a ativista. As informações do Plant Based News.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(255, 255, 255)"}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
DOE AGORA

COMPARTILHE:

Você viu?


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
>