Campanha mostra o sofrimento causado pelos fogos de artifício aos animais e viraliza na internet


Foto: Rimac
Foto: Rimac

Com a chegada das festas de final de ano, Natal e Ano Novo, tutores testemunham o sofrimento dos animais (além e crianças e idosos) com os fogos de artifício e seus estrondos ensurdecedores. Numa iniciativa de conscientização sobre o problema, a seguradora peruana RIMAC, juntamente com a ONG de proteção animal Grupo Caridad também sediada no país, criou a campanha #CeroCohetones (#ZeroRojões).

Os fogos de artifício podem causar mortes ou problemas nervosos aos animais, explica Fernando Moreno, presidente do Grupo Caridad: “Os animais ouvem o barulho dos rojoões, com intensidade até 500 vezes maior que os humanos, e sem estrutura lógica para entender essas explosões, elas produzem um medo inimaginável que pode matá-los”, disse ele.

“Cães e gatos são tratados como parte de nossa família, mais de 50% das famílias peruanas têm animais domésticos e nós os amamos. Cães e gatos cumprem o papel de amigos incondicionais, com uma compreensão diferente. Eles nos servem como uma fonte inesgotável de amor e companhia e podem até ser um apoio emocional muito importante”, continuou Moreno.

O presidente da ONG agradeceu e parabenizou a empresa RIMAC pela iniciativa de responsabilidade social e empatia aos animais.

A campanha

No vídeo da campanha, que tem duração de pouco mais de 2 minutos, vemos pessoas convidadas a colocar fones de ouvido, sem saber o que irá acontecer, e ao dar o sinal cada um dos participantes do experimento começa a ouvir sons desagradáveis em alto volume, como o barulho de uma britadeira, unhas em uma lousa, despertador, buzinas de carros, zumbidos agudos.

As pessoas logo mostram seu desconforto por suas expressões faciais e pedem para retirar os fones por não suportarem os ruídos. Após a experiência eles são questionados sobre o que sentirem ao serem expostos aos barulhos: eles descrevem sensações como angústia, medo, perturbação, ansiedade, nervoso, coração disparado, arrepios e vontade de fugir.

Neste momento eles são informados de que alguém mais quer lhes fazer uma pergunta, quando entra um cachorrinho no set de filmagem, com um envelope na boca e entrega ao entrevistado, onde está escrito: “Quer saber como eu escruto?”.

Foto: Rimac
Foto: Rimac

Então a cortina presa na parte de traz do cenário cai e diversas caixas de som, de todos os tamanhos e potências, empilhadas umas sobre as outras, são mostradas aos entrevistados, que por sua vez, entendem a mensagem e demostram reações de emoção genuínas.

Os animais escutam três vezes mais que os humanos, se para estas pessoas foi uma experiência cruel ouvir os sons em um fone de ouvido, como seria ouvi-los em caixas de som gigantescas e potentes juntas? Assim são os fogos de artifício para os animais.

Reconhecimento

O movimento, promovido pela empresa e pela ONG, passa a fazer parte do “Be Well” (Fique Bem), uma campanha que promove o bem-estar do povo peruano.

Foto: Rimac
Foto: Rimac

#CeroCohetones teve a aprovação de várias personalidades. Entre os mais conhecidos no país estão: Gisella Ponce de Leon, Carolina Cano, Emilia Drago, Andrés Silva, entre outros.

Medidas para proteger seu animal de estimação de fogos de artifício

1 – Ataduras ou algodão

Coloque as bandagens ao redor do seu animal doméstico, para lhe dar uma sensação de segurança.

2 – Sedativos

Só use esses medicamentos em casos extremos, lembre-se de consultar o veterinário para saber como fazer uso deles.

3 – Sala fechada, janelas fechadas

Coloque seu animal doméstico em um local fechado, sem barulho e fique com ele. Dessa forma, vocês ouvirão menos ruído.

Foto: Rimac
Foto: Rimac

4 – Muito amor: abraços e massagens

Massagens em locais estratégicos podem tranquilizar os animais. As áreas recomendadas são os ombros, atrás das orelhas, pescoço e pernas.

Para mais informações, visite zerocohetones e aproveite as festas de final de ano ao lado de seus companheiros peludos.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSUMO CONSCIENTE

PROTEÇÃO

AMOR PROFUNDO

ÍNDIA

RESGATE

ASFIXIA

NECROPSIA

SAUDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>