Tráfico de animais

104 aves são resgatadas de cativeiro em Minas Gerais

Entre os animais resgatados estavam espécies ameaçadas - como papagaio-do-peito-roxo, bicudo e curió

Animais eram mantidos em cativeiro em Capelinha, Minas Novas, Chapada do Norte, Itamarandiba e Turmalina (Foto: Ibama)
Animais eram mantidos em cativeiro em Capelinha, Minas Novas, Chapada do Norte, Itamarandiba e Turmalina (Foto: Ibama)

Na semana passada, agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) resgataram 104 aves de cativeiros em cidades de Minas Gerais, culminando em R$ 274 mil em multas.

Entre os animais resgatados estavam espécies ameaçadas – como papagaio-do-peito-roxo, bicudo e curió, além de aracuã-de-barriga-branca, azulão, trinca-ferro, coleirinho, baiano, chorão, periquito-maracanã, pássaro-preto, sofrê e cardeal-do-nordeste.

As ações, que resultaram em três pessoas encaminhadas para a Polícia Civil, foram realizadas em Capelinha, Minas Novas, Chapada do Norte, Itamarandiba e Turmalina. A operação teve a participação de cinco policiais militares das companhias de Capelinha e Minas Novas. O Instituto Estadual de Florestas (IEF) ofereceu apoio ao transporte dos animais até o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Montes Claros.

Tráfico de animais silvestres é o terceiro maior do mundo

De acordo com o próprio Ibama o tráfico de animais silvestres é o terceiro maior do mundo, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e armas.

E essa prática, assim como a caça, faz com que o Brasil tenha 1173 espécies da fauna ameaçadas de extinção, conforme informações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Do total, 234 são aves.

“As aves correspondem ao maior número de apreensões, e os papagaios estão entre as espécies mais vulneráveis, muito procurados como animais de estimação”, informa o ICMBio.

Só em 2018, a Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul registrou apreensão de 143 animais silvestres, sendo a maior parte filhotes de papagaios. Um número considerado baixo em comparação a 2017, quando foram apreendidos 521.

Entre as espécies da fauna brasileira em risco estão o papagaio-verdadeiro, papagaio-charão, papagaio-de-peito-roxo, papagaio-de-cara-roxa, papagaio-chauá e papagaio-moleiro. São espécies que habitam diferentes biomas do país, e além do tráfico, sofrem com a redução de habitat.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui