Gambá é resgatado após prender a cabeça em pote de plástico


Os militares do Corpo de Bombeiros usaram pequenos alicates para cortar o plástico e libertar o animal


Um gambá foi resgatado após ficar com a cabeça presa em um pote de plástico na madrugada de quarta-feira (22) em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Arquivo pessoal / Mauro Sérgio

O animal foi encontrado pelo radialista e empresário Mauro Sérgio na rua Corrêa Lima, esquina com a Hipólito da Costa, no bairro Santa Tereza. As informações são do portal GaúchaZH.

Sérgio retornava para casa após prestar serviço para uma cliente, por meio de sua empresa de transporte de animais, quando encontrou o gambá.

“Saí de madrugada para socorrer um gato que havia sido mordido por um morcego. Quando estava voltando para casa vi, no meio da rua, o que parecia ser um gato com a cabeça presa em um pote. Quando me dei por conta, percebi que era um gambá. Dava para ver que estava com dificuldade de respirar”, conta.

O empresário decidiu, então, ligar para a Brigada Militar, que o orientou a acionar o Corpo de Bombeiros. Os militares cortaram o plástico com pequenos alicates e, após cerca de 30 minutos, conseguiram libertar o gambá.

De acordo com o médico veterinário e professor de Medicina de Animais Silvestres da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Ivan Gonçalves, a presença de um gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) é comum em Porto Alegre.

“Sem dúvida, é o mamífero silvestre mais comum em nosso meio. É um marsupial extremamente adaptável. Possui hábitos crepusculares e noturnos e é bastante oportunista para se alimentar, comendo quase tudo o que encontra, inclusive os restos da civilização”, explica.

O especialista orienta a população a agir com cautela, sem fazer contato com o animal, caso o encontre em apuros, optando sempre por acionar o Corpo de Bombeiros para realizar o resgate.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CATIVO EM ZOO

CRIME AMBIENTAL

RESPONSABILIZAÇÃO

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

ESCRAVIDÃO

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>