Evento Raro

Bebê elefante albino desafia as probabilidades, sobrevive e prospera

O recém-nascido foi fotografado com apenas oito horas de vida, e apesar da falta de pigmentação na pele, que o torna diferente dos demais, foi aceito pelo rebanho e pela mãe e tem se alimentado normalmente

Foto: Mostafa Elbrolosy/Caters News

Um frágil bebê elefante nascido com albinismo não só sobreviveu como também tem prosperado na natureza, apesar dos problemas causados pela pigmentação de sua pele.

O filhote raro nasceu em abril deste ano na reserva de Maasai Mara, no Quênia.

Imagens do pequeno paquiderme foram capturadas pela câmera por um fotógrafo da vida selvagem que viu sua pigmentação incomum de pele, em tons de rosa, mas acredita-se que ele esteja se fortalecendo.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
Foto: Mostafa Elbrolosy/Caters News

Mostafa Elbrolosy, um guarda florestal que administra a reserva, disse que ouviu falar do nascimento do elefante, mas ficou surpreso ao ver o adorável bebê ao vivo.

Ele disse ao Daily Mail em matéria de 27 de novembro: “Foi um avistamento raro”.

“As criaturas raras são sempre as mais atraentes para qualquer fotógrafo de vida selvagem, e ter a chance de assistir e fotografar algo assim foi como um sonho realizado”.

Foto: Mostafa Elbrolosy/Caters News

“Moro aqui na reserva de Maasai Mara, cuido de meu acampamento acolhedor aqui, recebi uma notícia no rádio de uma fêmea de elefante dando à luz um bebê albino”.

“Terminei meu trabalho, guardei minha câmera e fui procurá-la com um de nossos guias”.

“Ficamos surpresos à tarde, depois de um longo e silencioso tempo de busca, apenas poucas pessoas o viram, pois ninguém esperava que fosse um elefante albino”.

Foto: Mostafa Elbrolosy/Caters News

“Tive muita sorte de ter a chance de ver e fotografar esse bebê extremamente raro”.

Elbrolosy disse que o filhote recém-nascido é extremamente raro e está prosperando, apesar da luz solar forte que não é adequada para ele por causa de sua pele.
“Ele estava cercado e muito bem protegido pelo rebanho, tentando se alimentar da mãe e caminhar com ela”.

“O pequeno tinha apenas oito horas de vida”.

“Ficamos emocionados ao presenciar uma visão tão incrível”.

Foto: Mostafa Elbrolosy/Caters News

O albinismo é causado pela falta de pigmento na pele e geralmente resulta em camadas dermatológicas pálidas, além de olhos rosados e não pigmentados.

A condição também pode causar problemas de visão que podem levar à cegueira à medida que o filhote envelhece.

Existem muitos elefantes com manchas de pele sem pigmento atrás das orelhas, mas os verdadeiros albinos podem ser rejeitados por sua própria espécie devido à sua aparência incomum. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui