Impacto humano

Veado morre após se enroscar e ficar preso em linhas de pesca descartadas em praia

Autoridades acreditam que devido ao lixo plástico emaranhado em seus chifres, boca e patas, o animal provavelmente lutou por dias, passou fome e finalmente desmaiou vencido pelo sofrimento

Imagens comoventes mostram um veado morto com seus chifres emaranhados em lixo plástico descartado na costa oeste de Jura, na Escócia: | Foto: Wild Side of Jura/SWNS.COM
Imagens comoventes mostram um veado morto com seus chifres emaranhados em lixo plástico descartado na costa oeste de Jura, na Escócia: | Foto: Wild Side of Jura/SWNS.COM

Um veado morreu em uma remota ilha escocesa vítima de linhas de pesca trazidas pela maré que se enroscaram nos seus chifres e em sua boca.

O animal foi encontrado em uma encosta na costa oeste de Jura, Inner Hebrides, na terça-feira (05), por um guarda local.

Acredita-se que o veado estava pastando nas algas marinhas da ilha quando as linhas de plástico, que vieram do mar, ficaram presas em seus chifres.

Ele então caminhou cerca de um quilômetro até a encosta e acabou passando fome na última semana, já que o plástico estava enrolado em toda a sua boca, impedindo-o de comer.

O Sr. Muir, guarda que encontrou o animal, conta que viveu na ilha com uma população de apenas 230 habitantes. Ele disse ainda que a poluição plástica na costa tem piorado cada vez mais nos últimos cinco anos.

“Eu estava andando pela propriedade quando vi o lixo plástico e percebi que havia um veado preso nele”, disse ao Telegraph na quinta-feira (14). “Eu pensei que ele estava morto no começo, mas quando me aproximei pude ver sua cabeça começar a se mover”, completou.

“Estes veados podem ser agressivos quando se sentem ameaçados, mas ele parecia tão cansado e estressado e não podia ver direito porque o plástico estava bem ao redor de seus dois chifres. Ele não conseguia comer, pois as linhas de pesca estavam bem sobre sua boca, então o animal estava efetivamente morrendo de fome”, afirmou.

“Provavelmente ele deveria estar na costa pastando algas, como fazem muitos veados, e como ele abaixou-se para comer, os chifres ficaram presos nas linhas de plástico”, explicou.

“Parece que ele caminhou cerca de um quilômetro até a encosta da colina, o que não é tarefa fácil, considerando que o material estava enrolado em torno de sua perna traseira e em volta dos chifres. Acho que ele estava ali há cerca de uma semana. No final, o animal teve que, infelizmente, ser sacrificado”, lamentou.

Ao encontrar o veado, o guarda Scott Muir disse estar “desesperado” quando se deu conta da situação do animal, que infelizmente não sobreviveu.

Muir também é voluntário do Wild Side of Jura, um grupo formado com o objetivo de proteger a costa oeste da ilha e aumentar a conscientização no intuito de interromper os planos para uma potencial fazenda de peixes em construção.

“Somos um grupo de cinco ou seis voluntários que se uniram para proteger a costa oeste de Jura e aumentar a conscientização sobre uma fazenda de peixes que estão tentando construir aqui”, disse Muir. “A poluição por plásticos está piorando. Vimos um aumento no desperdício de plástico na costa oeste nos últimos cinco, seis anos”, completou.

“O plástico que matou o veado não é uma rede de pesca, mas linhas e faixas de plástico que são usadas em conjunto com a pesca”, explicou.

Os moradores, indignados, foram às mídias sociais para expressar sua revolta. “Isso é chocante, pobre animal, só de imaginá-lo lutando com as linhas de pesca por horas me deixa com muita raiva”, disse uma internauta.

“Tanto plástico por aí, mas tomamos consciência da realidade quando vemos os danos que ele causa acontecendo perto de nossa casa”, completou.

“Coitadinho, que visão horrível. Não acredito como algo assim pode acontecer, falta de fiscalização e regulação, é terrível”, criticou outro internauta.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui