Indonésia

Orangotango ameaçado de extinção é encontrado vivo após ter sido baleado 24 vezes

Apenas alguns milhares de indivíduos da espécie permanecem no norte de Sumatra, já que as plantações de óleo de palma dizimaram o habitat dos primatas

O orangotango conhecido como 'Paguh' foi cegado pelo ataque | Foto: EPA
O orangotango conhecido como ‘Paguh’ foi cegado pelo ataque | Foto: EPA

Um orangotango de Sumatra foi encontrado gravemente ferido com 24 balas no corpo de carabina de ar comprimido (alimentada com projétil de chumbo), incluindo 16 delas na cabeça, na ilha indonésia de Sumatra.

A espécie está criticamente ameaçada, pois as florestas tropicais estão sendo rapidamente destruídas para dar lugar a plantações de óleo de palma.

O enorme animal do sexo masculino está sendo tratado por suas feridas, o que o deixou cego, mas os veterinários estão otimistas de que o orangotango pode sobreviver.

O macaco de 25 anos, chamado Paguh, foi encontrado na quinta-feira (28) em Gampong Teungoh Village, Trumon, South Aceh, no noroeste de Sumatra.

Uma imagem de raios-X mostra os projéteis de carabina na cabeça de Paguh, um orangotango de Sumatra (EPA)
Uma imagem de raio-X mostra os projéteis de carabina na cabeça de Paguh, um orangotango de Sumatra | Foto: EPA

Ao total foram encontradas 16 balas na cabeça, quatro nas mãos e nos pés, três na anca e uma na barriga, segundo a revista indonésia Time.

A veterinária do Programa de Conservação de Orangotangos de Sumatra, Meuthya Sr, disse à revista: “Daremos tratamento intensificado a Paguh até que ele melhore”.

“Inicialmente, esperávamos que os olhos de Paguh não estivessem completamente danificados ou que pelo menos um olho ainda estivesse funcionando, mas, infelizmente, descobrimos que Paguh estava cego dos dois olhos”, disse ela, de acordo com o The Jakarta Post.

A Agência de Conservação de Recursos Naturais disse que o animal foi encontrado por funcionários da agência que estavam realizando uma patrulha.

Foto: Kemal Jufri
Foto: Kemal Jufri

“O oficial, durante a patrulha, encontrou um orangotango ferido e imediatamente coordenou junto ao Centro de Informações sobre Orangotangos para uma verificação”, disse a organização.

Não é o primeiro incidente desse tipo na região. Em março, uma orangotango chamada Hope foi encontrada com 74 balas de fuzil no corpo.

Nos últimos 10 anos, as agências de animais selvagens trataram cerca de 20 orangotangos mortos com espingardas de ar, muitos dos quais morreram devido aos ferimentos.

Apenas alguns milhares de orangotangos de Sumatra sobrevivem em bolsões fragmentados no norte da ilha, devido à destruição das florestas tropicais para serem usadas como terras agrícolas com o objetivo de satisfazer a demanda insaciável de óleo de palma.

Foto: Kemal Jufri
Foto: Kemal Jufri

À medida que os seres humanos se infiltram cada vez mais no que antes era a floresta tropical, incidências de conflito com orangotangos, que podem atingir 5,6 pés de altura e pesar até 90 kg, tornaram-se cada vez mais comuns, enquanto a caça também ameaça as populações restantes.

O óleo de palma é encontrado em cerca de metade dos produtos nas prateleiras dos supermercados, incluindo cosméticos, produtos de higiene pessoal e alimentos.

É significativamente mais barato que outros óleos, mas o custo ambiental é monstruoso.

Na Indonésia e na Malásia, os orangotangos perderam 80% de seu habitat em apenas 20 anos, com extração ilegal de madeira e vastos incêndios florestais, limpando milhões de hectares de floresta tropical.

Foto: Kemal Jufri
Foto: Kemal Jufri

Um relatório do Greenpeace publicado este mês (novembro) ligou grandes empresas internacionais, incluindo Nestlé, Unilever e Mondelez, a milhares de incêndios na Indonésia desde 2015.

Essas empresas usam óleo de palma em produtos como chocolate Kit Kats, chocolates da Cadbury e shampoos Dove.

Muitas marcas procuraram tranquilizar os consumidores sobre o impacto que o óleo de palma que eles usam causa no meio ambiente, afirmando que o produto que eles estão usando é “sustentável”. Mas os ativistas alertaram que esse rótulo é “sem sentido”.

Uma área que foi queimada para limpar terras para plantações em 2015 na província de Kalimantan Central. Os incêndios no ano passado destruíram mais de 1.650 milhas quadradas de floresta somente na província, ou 16% de seu total | Foto: Kemal Jufri
Uma área que foi queimada para limpar terras para plantações em 2015 na província de Kalimantan Central. Os incêndios no ano passado destruíram mais de 1.650 milhas quadradas de floresta somente na província, ou 16% de seu total | Foto: Kemal Jufri

Quando o relatório foi publicado, Richard George, chefe de florestas do Greenpeace do Reino Unido, disse: “Os consumidores estão sendo enganados pelo ‘óleo de palma sustentável certificado’, uma frase usada por supermercados e grandes marcas que tentam se distanciar do desmatamento”.

“Mas a frase é totalmente sem sentido porque o organismo responsável pela certificação do óleo de palma é composto por alguns dos produtores mais destrutivos da Indonésia. Este é um esquema de seguro de galinheiro administrado por raposas”.

Na Indonésia, quem for pego atacando um orangotango pode ser preso por até cinco anos e multado em até 100 milhões de rupias (£ 5.500). As informações são do Independent.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui