Em apuros

Mãe e bebê elefante presos em tanque de água são salvos após operação de resgate que levou horas

Autoridades acreditam que os animais caíram no enorme tanque de Guwahati, no nordeste da Índia, ao tentar beber água. Seu salvamento envolveu equipes do exército, cordas e duas escavadeiras

Foto: NewsFlare
Foto: NewsFlare

Um bebê elefante ferido que se separou de sua mãe ao cair em um tanque de água, foi resgatado em uma dramática operação de duas horas envolvendo equipes do exército, cordas e duas escavadeiras.

As imagens mostram o filhote ferido se debatendo nas águas profundas do tanque de Guwahati, no nordeste da Índia, no domingo – depois que o bebê e sua mãe caíram enquanto tentavam beber um pouco de água.

Os dois foram flagrados em perigo durante uma patrulha de perímetro no 14 Depósito de Munições no Narangi, e o bebê estava sofrendo visivelmente.

Cerca de sete homens inicialmente tentam puxar o bebê agarrando suas orelhas e tromba, enquanto sua mãe é vista mais longe da borda.

Lutando para agarrar firmemente o filhote, vários outros homens se juntam a eles, enquanto as escavadeiras já estão preparadas para ajudar, uma delas com um cano preso para auxiliar a tirar o animal da água enquanto a outra o circula pelo lado oposto.

Os homens também usam cordas presas ao corpo do filhote para ajudar a puxar o animal, enquanto afastam a mãe com uma vara, pois a elefanta preocupada, involuntariamente dificulta a operação.

Foto: NewsFlare
Foto: NewsFlare

Eventualmente, os homens – contando cerca de uma dúzia nesse momento – conseguiram transportar o bebê e, mais tarde, sua mãe, que se separara do resto do rebanho.

Autoridades disseram que os animais foram vistos em perigo no tanque – que é usado para armazenar água para combater incêndios – no início da manhã de domingo (17), conforme informações do Daily Mail.

O comandante do depósito, coronel Sanjiv Vohra, foi informado e imediatamente acionou a operação de resgate.

Foto: NewsFlare
Foto: NewsFlare

As equipes de resgate inicialmente tentaram retirar os elefantes usando toras, mas depois trocaram por cordas e pelas escavadeiras.

O filhote foi posteriormente transferido para um abrigo improvisado.

Acredita-se que os elefantes se afastaram do Santuário da Vida Selvagem de Amchang, que compartilha a fronteira com o cantão de Narangi.

Foto: NewsFlare
Foto: NewsFlare

Vida de elefante

Grupos de elefantes, ou manadas, seguem uma estrutura matriarcal em que a elefanta mais velha fica no comando dos demais. Os rebanhos são compostos principalmente por membros da família do sexo feminino, filhotes e elefantes mais jovens, de acordo com o LiveScience e incluem cerca de 6 a 20 membros, dependendo do suprimento de alimentos. Quando a família fica muito grande, os rebanhos geralmente se dividem em grupos menores que permanecem na mesma área.

A matriarca conta com sua experiência e memória para lembrar onde estão os melhores locais para comida, água e onde encontrar proteção contra os elementos. A matriarca também é responsável por ensinar aos membros mais jovens de sua família como se socializar com outros elefantes.

Os elefantes são muito sociais e podem se comunicar entre si e identificar outros elefantes a distâncias de até 3 quilômetros usando sons estrondosos e agudos que ficam abaixo do alcance audível dos seres humanos, de acordo com o LiveScience.

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Os elefantes demonstram prontamente boas maneiras aos membros de seu rebanho e outros rebanhos. Por exemplo, eles usam suas trombas para cumprimentar um ao outro, segurando-a no alto ou inserindo a extremidade da tromba na boca de outro elefante.

Os elefantes também prestam muita atenção ao bem-estar de todos os membros de seu rebanho e farão o possível para cuidar e proteger os membros fracos ou feridos.

Eles são considerados uma espécie extremamente inteligente e foram observados mostrando habilidades avançadas de resolução de problemas e demonstrando empatia, luto e autoconsciência, de acordo com um artigo da Scientific American.

Foto: Mark Wright/University of Hawaii Mānoa
Foto: Mark Wright/University of Hawaii Mānoa

Estado de conservação

A União Internacional para Conservação da Natureza e Recursos Naturais (IUCN) classifica o elefante asiático como ameaçado de extinção. Embora não se saiba exatamente quantos elefantes asiáticos restam no planeta, os especialistas acreditam que a população está diminuindo.

O elefante africano é considerado vulnerável, de acordo com a IUCN, e a população da espécie está aumentando. Segundo a African Wildlife Foundation, existem cerca de 415 mil elefantes africanos em estado selvagem.

Ameaças contra a sobrevivência de elefantes africanos e asiáticos incluem caça e perda de habitat, segundo o World Wildlife Fund.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui