Denúncia

Investigação realizada por quase dois anos revela abuso de animais em fazendas

Filmagens de câmeras escondidas mostram animais sendo socados, chutados e espancados com paus, entre outros abusos, como bezerros recém-nascidos sendo separados de suas mães, que mugem desesperadas

Bezerros sendo deixados para apodrecer ao ar live | Foto: Investigação Surge
Bezerros sendo deixados para apodrecer ao ar live | Foto: Investigação Surge

Uma investigação secreta que durou 18 meses realizada em fazendas leiteiras em todo o Reino Unido revelou abuso generalizado de bezerros e vacas.

A Surge, ONG que atua em defesa dos direitos animais, trabalhou com investigadores independentes, que colocaram câmeras escondidas em várias fazendas, passando diversas semanas em cada local.

Vacas sendo içadas por trator | Foto: Investigação Surge
Vacas sendo içadas por trator | Foto: Investigação Surge

Abuso de animais

De acordo com Surge, a filmagem revelou “incidências generalizadas de socos, chutes, torção excessiva da cauda, palavrões/gritos, espancamentos com paus, separação de bezerros de suas mães, alimentação forçada de bezerros e remoção violenta de bezerros”.

Além disso, as imagens mostram vacas e bezerros mortos deixados para apodrecer “do lado de fora das instalações por dias”, de acordo com os investigadores.

Vacas sendo espancadas com canos de ferro por funcionários de fazendas leiteiras | Foto: Investigação Surge
Vacas sendo espancadas com canos de ferro por funcionários de fazendas leiteiras | Foto: Investigação Surge

Campanha

Como resultado das descobertas, a Surge está lançando uma campanha chamada “Dismantle Dairy” (Desmontando os laticínios, na tradução livre), que apresentará vídeos, pôsteres e adesivos de código QR.

A ONG diz “em vez de chamar a atenção para fazendas individuais e criar a impressão de que são casos isolados ou `ovos podres no meio de saudáveis’, o vídeo da campanha contará com a presença do co-fundador da Surge, Ed Winters, também conhecido como Earthling Ed, falando em termos mais amplos sobre a indústria de laticínios e suas práticas padrão, como a separação dos bebês de suas mães no nascimento e a morte de bezerros, que são absurdamente abusivas”.

Vacas sendo arrastadas pelo chão por cordas em seu pescoços | Foto: Investigação Surge
Vacas sendo arrastadas pelo chão por cordas em seus pescoços | Foto: Investigação Surge

Os principais vídeos da investigação serão publicados no site chamado “Dismantle Dairy”, onde as pessoas podem pedir pôsteres e adesivos de código QR que direcionam os interessados para a campanha. A Surge incentiva os ativistas a colocar cartazes e adesivos de forma responsável.

“A violência é onipresente”

“A campanha ‘Desmontando laticínios’ é o culminar de 18 meses de trabalho. Começamos esta iniciativa para mostrar que a violência nas fazendas leiteiras é onipresente e ocorre em todas as fazendas, incluindo aquelas associadas aos altos funcionários do setor, como nossa campanha em andamento revelará mais tarde”, disse Ed Winters, co-diretor da Surge e apresentador do vídeo da campanha, em um comunicado.

Vaca presa em caixa de contenção (para reprodução) sendo espancada com pau | Foto: Investigação Surge
Vaca presa em caixa de contenção (para reprodução) sendo espancada com pau | Foto: Investigação Surge

“O sofrimento nas fazendas leiteiras é horrível e existe tanto psicologicamente quanto fisicamente, não é exceção, como muitos pensam, é a regra”.

“Como mostra a filmagem, os laticínios vêm da violência e do sofrimento, mesmo que esses atos de violência sejam legalmente tolerados. A única maneira de acabar com a violência é adotar o veganismo”.

Bezerro recém-nascido sendo afastado da mãe vaca logo após nascer | Foto: Investigação Surge
Bezerro recém-nascido sendo afastado da mãe logo após nascer | Foto: Investigação Surge

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui