Missão

Investidor se compromete a salvar um bilhão de animais

Kerr disse que decidiu assumir esse compromisso por meio de seus negócios que visam oferecer alternativas compassivas e sustentáveis aos alimentos de origem animal

A intenção é dar às pessoas um bom incentivo para não se alimentarem de animais | Foto: Good Catch Foods
A intenção é dar às pessoas um bom incentivo para não se alimentarem de animais | Foto: Good Catch Foods

Em entrevista concedida ao Live Kindly, o investidor Chris Kerr, diretor de investimentos da New Crop Capital e CEO da marca vegana de alternativas aos peixes e frutos do mar Good Catch Foods, confidenciou na semana passada que sua maior ambição é salvar um bilhão de animais antes de morrer, e que por isso decidiu assumir esse compromisso por meio de seus negócios que visam oferecer alternativas compassivas, sustentáveis e saborosas aos alimentos de origem animal. A intenção é dar às pessoas um bom incentivo para não se alimentarem de animais.

E Kerr aponta que tem conseguido isso ao administrar um portfólio de investimentos que envolvem 35 empresas veganas que estão criando produtos que são bons motivos para os consumidores adotarem hábitos de consumo que envolvem alimentos à base de vegetais que substituem carnes, ovos, laticínios e “frutos do mar”.

“Cada um de nós pode dar pequenos passos em direção a um mundo melhor. Quando reunimos coletivamente milhares ou milhões de pequenos passos, estamos dando um salto enorme em direção a um mundo melhor (e esperamos salvá-lo)”, declarou.

Chris Kerr defende que se não alcançarmos mudanças mais significativas de hábitos de consumo, causaremos danos irreversíveis ao planeta. Vale lembrar que os oceanos desempenham papel fundamental na manutenção da vida na Terra, considerando que cerca de 71% da superfície terrestre é coberta por água.

Há alguns meses, Kerr declarou à Forbes que a startup surgiu com o objetivo de mostrar que é possível oferecer boas opções alimentícias sem a necessidade de matar animais ou prejudicar o meio ambiente. “Estamos incrivelmente confiantes sobre o futuro da proteína baseada em vegetais.”

“Melhor caminho são as alternativas baseadas em vegetais”

Alternativas ao atum, aos hambúrgueres de peixes e siri estão entre as apostas da Good Catch, que tem projeção de produção anual de 100 milhões de dólares em proteínas de origem vegetal. A cofundadora da startup, Marci Zaroff, disse anteriormente ao PRNeswire que hoje em dia quando os consumidores buscam por fontes de nutrição, e principalmente de proteínas, eles encontram um campo minado de escolhas. Por isso, o melhor caminho são as alternativas baseadas em vegetais.

A New Crop Capital tem se tornado uma das mais importantes firmas dos EUA na captação de recursos para empresas dedicadas ao mercado vegetariano e vegano. Além da preocupação com o meio ambiente e da oposição à exploração animal, outra razão para a Good Catch seguir por esse caminho é que a previsão é de que até 2050 as proteínas alternativas vão comandar pelo menos 1/3 do mercado global de proteínas.

Pelo menos 970 bilhões de peixes mortos por ano

De acordo com a organização britânica Fish Count, todos os anos pelo menos 970 bilhões de peixes são mortos em seu próprio habitat em decorrência da ação humana, e o total pode chegar a 2,74 trilhões.

Os números não incluem peixes pescados ilegalmente ou capturados em práticas não regulamentadas. Nem mesmo os peixes que são descartados posteriormente.

“Se estes forem incluídos, o total aumenta em cerca de 16,6 a 33,3%”, informa o relatório da Fish Count. Além disso, de 37 a 120 bilhões de peixes são criados em cativeiro com a finalidade de abate, segundo o estudo “Estimating the Number of Farmed Fish Killed in Global Aquaculture Each Year”, de autoria de A. Mood e P. Brooke, da Fish Count.

Oceanos estão mais quentes

As mudanças climáticas também ameaçam o bem-estar dos mares e oceanos. “Os oceanos estão aquecendo e se tornando mais ácidos, causando branqueamento de corais e redução da biodiversidade”, disse recentemente o chefe da Organização das Nações Unidas (ONU) António Guterres. O aquecimento global de 1,5°C irá causar “severos danos aos recifes tropicais”.

Além disso, se o aquecimento alcançar 2°C ou mais, “será catastrófico tanto para a vida marinha quanto para a humana”, afirmou. No entanto, mares e vida marinha também estão sob ataque de outras direções. Guterres ilustrou um cenário de pesca excessiva; desertos subaquáticos sem oxigênio; mares repletos de venenos e lixo; espécies se tornando extintas dentro de décadas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui