Meio ambiente

Holanda vai reduzir limite de velocidade de rodovias para combater poluição

Reprodução/Deutsche Welle/G1/AutoEsporte

A velocidade máxima passará de 130 km/h para 100 km/h em horários específicos do dia


O governo da Holanda decidiu que irá reduzir, a partir de 2020, o limite máximo de velocidade das rodovias do país para combater as emissões de óxido de nitrogênio, geradas em sua maioria por veículos movidos a diesel.

Reprodução/Deutsche Welle/G1/AutoEsporte

A velocidade, que atualmente é de 130 km/h, passará para 100 km/h, conforme anunciou na quarta-feira (13) o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte. De acordo com a emissora de televisão holandesa NOS, o premiê afirmou que está “muito infeliz” por ter que reduzir o limite de velocidade das rodovias, mas lembrou que isso é necessário.

No entanto, o novo limite de velocidade, um dos menores da União Europeia, estará em vigor apenas em horários específicos. Das 19h às 6h, os motoristas poderão trafegar a 130 km/h. As informações são da agência de notícias Deutsche Welle.

Em maio, a Suprema Corte da Holanda determinou a suspensão de grandes projetos de infraestrutura, como aeroportos, estradas e prédios habitacionais, porque o país está violando leis da União Europeia que estabelecem limites para as emissões de óxido de nitrogênio. Licenças necessárias às obras foram, então, suspensas.

Segundo Rutte, a redução das emissões geradas pela mudança no limite de velocidade das rodovias permitirá que as obras sejam retomadas em breve.

A Holanda tem uma emissão per capita de nitrogênio quatro vezes maior que a média da União Europeia. A agricultura é responsável por 61% da poluição.

Um dos gases mais poluentes da atmosfera, o óxido de nitrogênio foi um dos responsáveis pelo alerta feito pela Agência Europeia do Ambiente, que lembrou que 90% dos moradores de cidades respiram ar poluído e que a maior parte dos europeus está exposta a um nível de poluição do ar superior aos limites recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2016, 400 mil mortes foram registradas por conta da má qualidade do ar.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui