Abuso e crueldade

Explorado ao extremo, cavalo fratura o quadril durante corrida na Austrália

Esgotado pelos esforços extremos e açoites sobre seu corpo, o cavalo terminou a corrida em último lugar e mancando severamente. Segundo relatos, ele mal podia sustentar seu próprio peso

Rostropovich antes do acidente | Foto: Tattersalls
Rostropovich antes do acidente | Foto: Tattersalls

Corridas de cavalo são um dos exemplos mais cruéis e fatais da exploração animal pelos seres humanos. Criados com o único fim de competir, submetidos a técnicas que alteram sua estrutura física em prol de maior velocidade, canelas mais finas e cascos que mal toquem o chão, esses animais muitas vezes morrem ou ficam aleijados para sempre nas competições, organizadas apenas com objetivo de lucrar com as apostas dos frequentadores.

Um desses animais miseráveis é o cavalo que ficou em último lugar na última Copa de Melbourne (corrida de cavalos), na Austrália em 05 de novembro: Rostropovich, que foi levado às pressas para o veterinário com suspeita de fratura na pélvis, segundo o responsável pelo animal.

A entidade organizadora da corrida, Racing Victoria, confirmou que ele foi examinado pelos veterinários após a corrida de 3200 m e foi considerado “manco”.

O “treinador” do animal, David Hayes, disse à News Racing que o cavalo está “recebendo tratamento” em uma clínica em Werribee, no sudoeste da cidade.

“Ele não suportava seu próprio peso”, disse Hayes.

Os estábulos da Lindsay Park Racing, que pertencem ao responsável pelo cavalo, twittaram que Rostropovich “está em ótimas mãos no U-Vet Werribee Equine Center”.

Rostropovich | Foto: Getty Images
Rostropovich | Foto: Getty Images

“O prognóstico para uma recuperação completa é bom”, dizia o post na rede social.

O Racing Victoria disse que o cavalo foi transferido para o Centro Equino da Universidade de Melbourne para uma “avaliação adicional”.

O jockey Dwayne Dunn, que montava o cavalo na hora do acidente, disse aos repórteres após a corrida: “Infelizmente, ele não se saiu muito bem”.

Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10
Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10

A lesão e o sofrimento do animal foram severamente criticados por ativistas dos direitos animais e políticos anti-corrida.

A Coalition for the Protection of Racehorses (Coalizão para a Proteção dos Cavalos de Corrida) postou uma pergunta provocativa no Facebook “Rostropovich será o próximo?”, referindo-se ao número de cavalos mortos em corridas.

“Realmente esperamos que o cavalo irlandês Rostropovich não seja a próxima fatalidade da Copa de Melbourne, mas há relatos de que ele se feriu gravemente”.

Ativistas pelos direitos animais combinaram roupas da moda com manchas de sangue falso para protestar contra a crueldade nas corridas de cavalos | Foto: AAPIMAGE
Ativistas pelos direitos animais combinaram roupas da moda com manchas de sangue falso para protestar contra a crueldade nas corridas de cavalos | Foto: AAPIMAGE

A Coalizão apontou que a lesão geralmente termina com a eutanásia dos cavalos de corrida.

O partido Animal Justice NSW twittou: “Estes são os tipos de ferimentos horríveis que os cavalos sofrem ao serem forçados a correr na cruel #MelbourneCup”.

“Esperamos sinceramente que ele possa ser salvo”.

O senador Mehreen Faruqi, do Partido Green (Verde), twittou: “Eu realmente espero que ele esteja bem. Quando os animais e o jogo se misturam, os animais sempre sofrem mais”.

“Isso é tão tragicamente previsível. Ano após ano, vemos o sofrimento desnecessário dos cavalos, mas nada muda”.

Rostropovich terminou em quinto lugar na corrida do ano passado.

A Melbourne Cup deste ano teve um grande número de manifestantes pelos direitos animais, condenando as seis mortes de cavalos de corrida no evento anual desde 2013 | Foto: EPA
A Melbourne Cup deste ano teve um grande número de manifestantes pelos direitos animais, condenando as seis mortes de cavalos de corrida no evento anual desde 2013 | Foto: EPA

Seis cavalos de corrida morreram nas Copas de Melbourne desde 2013, provocando um aumento do sentimento anti-corrida e o lançamento da hashtag #NupToTheCup sobre o tema este ano.

No ano passado, o cavalo Cliffsofmoher foi sacrificado em frente às multidões em Flemington, depois que quebrou o ombro.

A corrida deste ano, palco do incidente, foi vencida pelo cavalo Vow e Declare.

Tragédias de Cavalos: A história das mortes da Copa de Melbourne

Ativistas dos direitos animais apuraram que seis cavalos morreram na Copa de Melbourne desde 2013.

2013: Égua francesa Verema é morta por indução após quebrar um osso da perna e não conseguir terminar a corrida

2014: Admire Ratki desmaia e morre em seus estábulos após a corrida. Enquanto isso, Araldo quebra a perna e é sacrificado.

2015: Cadeaux Vermelho sofre uma fratura óssea. O cavalo foi sacrificado uma quinzena depois.

2017: Regal Monarch é sacrificado depois de cair na quarta corrida da Copa

2018: Cliffsofmoher é sacrificado em frente às multidões em Flemington depois de quebrar o ombro.

A Austrália tem atualmente 30 mil cavalos sendo treinados para competir em corridas segundo a News Austrália.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui